Whey protein: efeitos colaterais podem aparecer?

Neste artigo, vamos esclarecer uma questão recorrente entre aqueles que fazem uso do whey protein: efeitos colaterais são comuns? Entenda quais são esses possíveis efeitos no organismo e como a escolha do tipo de whey deve ser feita por pessoas alérgicas a alimentos ou intolerantes à lactose.

Quais são os tipos de whey protein existentes?

Existem 3 principais tipos de whey protein encontrados no mercado: O whey protein concentrado, whey protein isolado e whey protein hidrolizado.

O whey protein é um suplemento proteico à base de leite. Ele consiste em uma proteína de rápida absorção e alta digestibilidade, que pode estar correlacionada ao estímulo de síntese proteica dos tecidos musculares. Isso ocorre devido à sua elevada concentração de aminoácidos essenciais, como: arginina, cisteína, leucina, isoleucina, lisina, entre outros.

Com a ingestão do whey protein, efeitos colaterais podem surgir?

Ao consumir o whey protein, efeitos colaterais podem se apresentar em alguns casos, quando o indivíduo já apresenta alguma patologia, tais como: alergia ao leite de vaca, intolerância à lactose e problemas renais. Estudos também têm mostrado a relação do uso do whey protein e o surgimento de acnes.

Por esse motivo, a escolha do  melhor whey protein deve ser feita levando em conta o custo/benefício e também a sua condição clínica atual.

Quem tem alergia ao leite da vaca pode tomar? 

Alergia alimentar é um termo usado para descrever reações adversas a alimentos, dependentes de mecanismos imunológicos. A alergia alimentar clássica é causada pela ação de um anticorpo conhecido como IgE. O problema ocorre quando há uma produção de IgEs direcionada a alvos inapropriados, ou seja, para proteínas presentes nos alimentos  não nocivos ao nosso organismo.

Com o consumo de qualquer das três versões do whey protein, efeitos colaterais em relação à alergia podem incluir manifestações clínicas envolvendo o trato gastrointestinal, respiratório e/ou pele, ou serem sistêmicas. Além disso, podem ocorrer reações mistas como a dermatite atópica e a esofagite/gastroenterite eosinofílicas.

E quanto à intolerância à lactose?

A lactose é um açúcar do leite, que é formado pelos monossacarídeos glicose e galactose. A sua digestão é feita por uma enzima chamada lactase. Alguns indivíduos apresentam uma redução total ou parcial dessa enzima.

Efeitos colaterais do whey protein podem surgir em pessoas que consomem o whey protein concentrado. Isso porque ele é composto por 20 a 30% de carboidratos e, além disso, pode conter lactose em sua formulação final.

Já o whey protein isolado contém pouca ou nenhuma lactose. Na maioria dos casos, apresenta uma digestão bem facilitada, mesmo para pessoas que apresentam intolerância à lactose. Como os produtos variam na sua composição, é necessário sempre verificar a rotulagem antes de adquiri-los.

O único suplemento derivado de compostos lácteos que é totalmente isento de lactose é o whey protein hidrolisado. Essa versão é altamente recomendada para quem possui intolerância a lactose, pois com a ingestão desse whey protein, efeitos colaterais muito possivelmente não surgirão, como pode ocorrer com suas outras versões.

Pessoas com problemas renais

Não é recomendado o uso de whey protein para pessoas que apresentam risco de desenvolver algum tipo de doença renal.

Isso vale tanto para riscos provenientes da hereditariedade, como para pessoas que já apresentaram algum distúrbio renal, como cálculo renal, por exemplo. No caso de consumo de whey protein, efeitos colaterais podem resultar no agravamento do quadro.

Alguns estudos indicam que dietas com altíssimo teor de proteína elevam a taxa de filtração glomerular de forma aguda e também após o consumo crônico em indivíduos saudáveis (com função renal normal). Além disso, pode também causar a concentração de ureia, que tem sua excreção controlada pelo rim, ocasionando o risco de proporcionar uma sobrecarga renal.

A relação com o surgimento da acne 

Com uso de whey protein, efeitos colaterais associados ao surgimento da acne foram observados em diversos estudos. A razão disso é porque o leite induz ao aumento dos níveis de IGF-1, favorecendo o surgimento da acne. A  presença de aminoácidos como a lisina, arginina, leucina, isoleucina e caseína são capazes de estimular os sebócitos, causando o agravamento da acne.

Um estudo foi realizado pela Anais Brasileiros de Dermatologia, com a participação de 30 pessoas que faziam uso de whey protein. Os resultados mostraram que, após 2 meses de uso, 100% dos usuários desenvolveram acne inflamatória grau III ou apresentaram um agravamento do quadro existente.

Se você deseja receber mais informações a respeito dos possíveis efeitos colaterais do whey protein, entre outros assuntos, inscreva-se em nossa Newsletter. É de graça!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SOLÉ, Dirceu et al. Guia prático de diagnóstico e tratamento da Alergia às Proteínas do Leite de Vaca mediada pela imunoglobulina E. Rev. bras. alerg. imunopatol.–Vol, v. 35, n. 6, 2012.

KIRCIK, Leon H. Evolving concepts in the pathogenesis of acne vulgaris. J Drugs Dermatol, v. 13, n. 6, p. s56-s56, 2014. (Artigo)

PONTES, T. C. et al. Incidência de acne vulgar em adultos jovens usuários de suplementos proteico-calóricos na cidade de João Pessoa-PB. Na Bras Dermatol, v. 88, n. 6, p. 909-14, 2013.

DE MEDEIROS RIBEIRO, Beatriz et al. Etiopatogenia da acne vulgar: uma revisão prática para o dia a dia do consultório de dermatologia. Surgical & Cosmetic Dermatology, v. 7, n. 3, p. 20-26, 2015.

CIÊNCIA DO LEITE. Uso do whey protein por intolerantes e alérgicos. Disponível em: http://cienciadoleite.com.br/noticia/2987/uso-de-whey-protein-por-intolerantes-e-alergicos. Acesso em: 30 de jan. 2017.

REVISTA NUTRI ONLINE. Whey protein. Disponível em: http://www.revistanutrionline.com/single-post/2016/02/15/WHEY-PROTEIN. Acesso em: 30 de jan. 2017.

MOREIRA JUNIOR. Alergia às proteínas do leite de vaca - diagnóstico e tratamento. Disponível em: http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=4947. Acesso em: 30 de jan. 2017.

SEM LACTOSE. Intolerantes a lactose podem consumir suplementos alimentares? Disponível em: https://semlactose.com/index.php/2014/10/31/intolerantes-a-lactose-podem-consumir-suplementos-alimentares/pdf/. Acesso em: 30 de jan. 2017.

PRÓ-RIM. Whey protein e creatina podem causar cálculo renal? Existe algum estudo que comprove isso? Disponível em: http://www.prorim.org.br/site/dronline/pergunta/i/161. Acesso em: 30 de jan. 2017.

 

Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Whey protein: efeitos colaterais podem aparecer?

Neste artigo, vamos esclarecer uma questão recorrente entre aqueles que fazem uso do whey protein: efeitos colaterais são comuns? Entenda quais são esses possíveis efeitos no organismo e como a escolha do tipo de whey deve ser feita por pessoas alérgicas a alimentos ou intolerantes à lactose.

Quais são os tipos de whey protein existentes?

Existem 3 principais tipos de whey protein encontrados no mercado: O whey protein concentrado, whey protein isolado e whey protein hidrolizado.

O whey protein é um suplemento proteico à base de leite. Ele consiste em uma proteína de rápida absorção e alta digestibilidade, que pode estar correlacionada ao estímulo de síntese proteica dos tecidos musculares. Isso ocorre devido à sua elevada concentração de aminoácidos essenciais, como: arginina, cisteína, leucina, isoleucina, lisina, entre outros.

Com a ingestão do whey protein, efeitos colaterais podem surgir?

Ao consumir o whey protein, efeitos colaterais podem se apresentar em alguns casos, quando o indivíduo já apresenta alguma patologia, tais como: alergia ao leite de vaca, intolerância à lactose e problemas renais. Estudos também têm mostrado a relação do uso do whey protein e o surgimento de acnes.

Por esse motivo, a escolha do  melhor whey protein deve ser feita levando em conta o custo/benefício e também a sua condição clínica atual.

Quem tem alergia ao leite da vaca pode tomar? 

Alergia alimentar é um termo usado para descrever reações adversas a alimentos, dependentes de mecanismos imunológicos. A alergia alimentar clássica é causada pela ação de um anticorpo conhecido como IgE. O problema ocorre quando há uma produção de IgEs direcionada a alvos inapropriados, ou seja, para proteínas presentes nos alimentos  não nocivos ao nosso organismo.

Com o consumo de qualquer das três versões do whey protein, efeitos colaterais em relação à alergia podem incluir manifestações clínicas envolvendo o trato gastrointestinal, respiratório e/ou pele, ou serem sistêmicas. Além disso, podem ocorrer reações mistas como a dermatite atópica e a esofagite/gastroenterite eosinofílicas.

E quanto à intolerância à lactose?

A lactose é um açúcar do leite, que é formado pelos monossacarídeos glicose e galactose. A sua digestão é feita por uma enzima chamada lactase. Alguns indivíduos apresentam uma redução total ou parcial dessa enzima.

Efeitos colaterais do whey protein podem surgir em pessoas que consomem o whey protein concentrado. Isso porque ele é composto por 20 a 30% de carboidratos e, além disso, pode conter lactose em sua formulação final.

Já o whey protein isolado contém pouca ou nenhuma lactose. Na maioria dos casos, apresenta uma digestão bem facilitada, mesmo para pessoas que apresentam intolerância à lactose. Como os produtos variam na sua composição, é necessário sempre verificar a rotulagem antes de adquiri-los.

O único suplemento derivado de compostos lácteos que é totalmente isento de lactose é o whey protein hidrolisado. Essa versão é altamente recomendada para quem possui intolerância a lactose, pois com a ingestão desse whey protein, efeitos colaterais muito possivelmente não surgirão, como pode ocorrer com suas outras versões.

Pessoas com problemas renais

Não é recomendado o uso de whey protein para pessoas que apresentam risco de desenvolver algum tipo de doença renal.

Isso vale tanto para riscos provenientes da hereditariedade, como para pessoas que já apresentaram algum distúrbio renal, como cálculo renal, por exemplo. No caso de consumo de whey protein, efeitos colaterais podem resultar no agravamento do quadro.

Alguns estudos indicam que dietas com altíssimo teor de proteína elevam a taxa de filtração glomerular de forma aguda e também após o consumo crônico em indivíduos saudáveis (com função renal normal). Além disso, pode também causar a concentração de ureia, que tem sua excreção controlada pelo rim, ocasionando o risco de proporcionar uma sobrecarga renal.

A relação com o surgimento da acne 

Com uso de whey protein, efeitos colaterais associados ao surgimento da acne foram observados em diversos estudos. A razão disso é porque o leite induz ao aumento dos níveis de IGF-1, favorecendo o surgimento da acne. A  presença de aminoácidos como a lisina, arginina, leucina, isoleucina e caseína são capazes de estimular os sebócitos, causando o agravamento da acne.

Um estudo foi realizado pela Anais Brasileiros de Dermatologia, com a participação de 30 pessoas que faziam uso de whey protein. Os resultados mostraram que, após 2 meses de uso, 100% dos usuários desenvolveram acne inflamatória grau III ou apresentaram um agravamento do quadro existente.

Se você deseja receber mais informações a respeito dos possíveis efeitos colaterais do whey protein, entre outros assuntos, inscreva-se em nossa Newsletter. É de graça!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SOLÉ, Dirceu et al. Guia prático de diagnóstico e tratamento da Alergia às Proteínas do Leite de Vaca mediada pela imunoglobulina E. Rev. bras. alerg. imunopatol.–Vol, v. 35, n. 6, 2012.

KIRCIK, Leon H. Evolving concepts in the pathogenesis of acne vulgaris. J Drugs Dermatol, v. 13, n. 6, p. s56-s56, 2014. (Artigo)

PONTES, T. C. et al. Incidência de acne vulgar em adultos jovens usuários de suplementos proteico-calóricos na cidade de João Pessoa-PB. Na Bras Dermatol, v. 88, n. 6, p. 909-14, 2013.

DE MEDEIROS RIBEIRO, Beatriz et al. Etiopatogenia da acne vulgar: uma revisão prática para o dia a dia do consultório de dermatologia. Surgical & Cosmetic Dermatology, v. 7, n. 3, p. 20-26, 2015.

CIÊNCIA DO LEITE. Uso do whey protein por intolerantes e alérgicos. Disponível em: http://cienciadoleite.com.br/noticia/2987/uso-de-whey-protein-por-intolerantes-e-alergicos. Acesso em: 30 de jan. 2017.

REVISTA NUTRI ONLINE. Whey protein. Disponível em: http://www.revistanutrionline.com/single-post/2016/02/15/WHEY-PROTEIN. Acesso em: 30 de jan. 2017.

MOREIRA JUNIOR. Alergia às proteínas do leite de vaca - diagnóstico e tratamento. Disponível em: http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=4947. Acesso em: 30 de jan. 2017.

SEM LACTOSE. Intolerantes a lactose podem consumir suplementos alimentares? Disponível em: https://semlactose.com/index.php/2014/10/31/intolerantes-a-lactose-podem-consumir-suplementos-alimentares/pdf/. Acesso em: 30 de jan. 2017.

PRÓ-RIM. Whey protein e creatina podem causar cálculo renal? Existe algum estudo que comprove isso? Disponível em: http://www.prorim.org.br/site/dronline/pergunta/i/161. Acesso em: 30 de jan. 2017.

 

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top