Vitamina C – benefícios à saúde e melhores fontes do nutriente

Sim, a vitamina C é um poderoso antioxidante com propriedades anti-inflamatórias, mas não é só isso. Pesquisas recentes associam a vitamina e sua suplementação ao combate e prevenção de uma série de doenças e até mesmo do processo de envelhecimento do organismo.

A vitamina C é uma velha companheira tanto em termos de atenção na hora da alimentação como de suplementação. Muito antes dos suplementos vitamínicos e nutricionais ganharem força no mercado, essa vitamina, também conhecida como ácido ascórbico, já era vendida em farmácias e drogarias com o intuito de prevenir ou combater resfriados e infecções.

Benefícios da vitamina C de forma mais abrangente

Como a maioria das vitaminas, a vitamina C possui um espectro amplo de ação em nosso organismo. Além do combate a inflamações, esse nutriente, presente principalmente em frutas e alguns vegetais, pode auxiliar na manutenção de diversos processos orgânicos e reverter quadros de algumas doenças, até mesmo degenerativas, como o Alzheimer.

Os benefícios comprovados por pesquisas são muitos, entre eles:

  • Suporte ao crescimento
  • Auxílio no reparo de tecidos lesionados
  • Assistência na produção de colágeno, uma proteína essencial para a pele, cartilagens, tendões e ligamentos
  • Influência na absorção de ferro e no combate aos radicais livres
  • Redução do risco de pressão alta
  • Prevenção de doenças de pele

Os benefícios vão muito além, embora a crença de que a vitamina combata resfriados e gripes – um dos principais motivos para o uso de suplementos – tenha sido até agora pouco provável, com muitos estudos gerando resultados inconclusivos.

A suposta ação da vitamina C no combate a resfriados comuns foi primeiramente sugerida pelo vencedor do Prêmio Nobel, Linus Pauling, ainda na década de 1970 – o cientista propunha que a substância podia combater gripes e resfriados por meio de sua ação no fortalecimento natural do sistema imunológico.

Quais são as fontes naturais da vitamina?

Claro, temos o limão, a laranja e todas as demais frutas cítricas. Contudo, talvez aquilo que pensamos em termos de provisão da vitamina na alimentação esteja equivocado.

Muitos alimentos não são naturalmente associados à vitamina C, porém, muitas vezes possuem um teor da substância maior do que o presente em sucos de limão ou laranja:

  • Pimentão vermelho ou amarelo (maior teor que o pimentão verde)
  • Kiwi
  • Brócolis
  • Morango
  • Acerola
  • Caju
  • Espinafre
  • Batata
  • Lichia
  • Goiaba
  • Aspargo
  • Ervilha

Quando devo recorrer à suplementação?

Uma alimentação bem servida de frutas variadas e vegetais verdes-escuros pode prover uma quantidade de vitamina C saudável, que manterá os níveis da substância em alta em seu organismo. Contudo, mesmo com bons hábitos alimentares, muitos recorrem à suplementação.

A absorção dos suplementos é geralmente menos eficiente do que a absorção da vitamina em sua forma natural. Contudo, em alguns casos de óbvia deficiência da vitamina, o uso de suplementos pode ser recomendável.

Um adulto precisa ingerir, em média, entre 75mg e 90mg da vitamina por dia – embora mulheres grávidas devam ingerir mais. A maioria dos suplementos comuns oferece quantidades de vitamina que chegam a 1g ou 2g por comprimido. Entretanto, suplementos específicos e de melhor qualidade oferecem volumes de suplementação mais em linha com a real necessidade humana: entre 40mg ou 50mg por cápsula.

Outra saída é o uso de multivitamínicos, também bastante comuns no mercado. De qualquer modo, um nutricionista ou médico sempre deve conceder a última palavra a respeito do uso de fontes alternativas – é preciso avaliar com cuidado a alimentação antes de inserir tal suplemento em sua vida.

Não deixe de conferir outros artigos com mais informações importantes para a sua saúde. Para isso, basta assinar a nossa Newsletter. É grátis!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ZERATSKY, Katherine. Too Much Vitamin C: Is It Harmful?. MayoClinic. org. Mayo Clinic, v. 5, 2015. (Artigo) 

"Vitamin C (Ascorbic Acid)." University of Maryland Medical Center. University of Maryland, 16 July 2013. Web. 11 Mar. 2016. (Artigo)

NESS, A. R.; CHEE, D.; ELLIOTT, P. Vitamin C and blood pressure–an overview. Journal of human hypertension, v. 11, n. 6, 1997. (Artigo)

NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. What is vitamin C and what does it do? Disponível em: <https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminC-Consumer/>. Acesso em 02 Mai. 2017.
Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Vitamina C – benefícios à saúde e melhores fontes do nutriente

Sim, a vitamina C é um poderoso antioxidante com propriedades anti-inflamatórias, mas não é só isso. Pesquisas recentes associam a vitamina e sua suplementação ao combate e prevenção de uma série de doenças e até mesmo do processo de envelhecimento do organismo.

A vitamina C é uma velha companheira tanto em termos de atenção na hora da alimentação como de suplementação. Muito antes dos suplementos vitamínicos e nutricionais ganharem força no mercado, essa vitamina, também conhecida como ácido ascórbico, já era vendida em farmácias e drogarias com o intuito de prevenir ou combater resfriados e infecções.

Benefícios da vitamina C de forma mais abrangente

Como a maioria das vitaminas, a vitamina C possui um espectro amplo de ação em nosso organismo. Além do combate a inflamações, esse nutriente, presente principalmente em frutas e alguns vegetais, pode auxiliar na manutenção de diversos processos orgânicos e reverter quadros de algumas doenças, até mesmo degenerativas, como o Alzheimer.

Os benefícios comprovados por pesquisas são muitos, entre eles:

  • Suporte ao crescimento
  • Auxílio no reparo de tecidos lesionados
  • Assistência na produção de colágeno, uma proteína essencial para a pele, cartilagens, tendões e ligamentos
  • Influência na absorção de ferro e no combate aos radicais livres
  • Redução do risco de pressão alta
  • Prevenção de doenças de pele

Os benefícios vão muito além, embora a crença de que a vitamina combata resfriados e gripes – um dos principais motivos para o uso de suplementos – tenha sido até agora pouco provável, com muitos estudos gerando resultados inconclusivos.

A suposta ação da vitamina C no combate a resfriados comuns foi primeiramente sugerida pelo vencedor do Prêmio Nobel, Linus Pauling, ainda na década de 1970 – o cientista propunha que a substância podia combater gripes e resfriados por meio de sua ação no fortalecimento natural do sistema imunológico.

Quais são as fontes naturais da vitamina?

Claro, temos o limão, a laranja e todas as demais frutas cítricas. Contudo, talvez aquilo que pensamos em termos de provisão da vitamina na alimentação esteja equivocado.

Muitos alimentos não são naturalmente associados à vitamina C, porém, muitas vezes possuem um teor da substância maior do que o presente em sucos de limão ou laranja:

  • Pimentão vermelho ou amarelo (maior teor que o pimentão verde)
  • Kiwi
  • Brócolis
  • Morango
  • Acerola
  • Caju
  • Espinafre
  • Batata
  • Lichia
  • Goiaba
  • Aspargo
  • Ervilha

Quando devo recorrer à suplementação?

Uma alimentação bem servida de frutas variadas e vegetais verdes-escuros pode prover uma quantidade de vitamina C saudável, que manterá os níveis da substância em alta em seu organismo. Contudo, mesmo com bons hábitos alimentares, muitos recorrem à suplementação.

A absorção dos suplementos é geralmente menos eficiente do que a absorção da vitamina em sua forma natural. Contudo, em alguns casos de óbvia deficiência da vitamina, o uso de suplementos pode ser recomendável.

Um adulto precisa ingerir, em média, entre 75mg e 90mg da vitamina por dia – embora mulheres grávidas devam ingerir mais. A maioria dos suplementos comuns oferece quantidades de vitamina que chegam a 1g ou 2g por comprimido. Entretanto, suplementos específicos e de melhor qualidade oferecem volumes de suplementação mais em linha com a real necessidade humana: entre 40mg ou 50mg por cápsula.

Outra saída é o uso de multivitamínicos, também bastante comuns no mercado. De qualquer modo, um nutricionista ou médico sempre deve conceder a última palavra a respeito do uso de fontes alternativas – é preciso avaliar com cuidado a alimentação antes de inserir tal suplemento em sua vida.

Não deixe de conferir outros artigos com mais informações importantes para a sua saúde. Para isso, basta assinar a nossa Newsletter. É grátis!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ZERATSKY, Katherine. Too Much Vitamin C: Is It Harmful?. MayoClinic. org. Mayo Clinic, v. 5, 2015. (Artigo) 

"Vitamin C (Ascorbic Acid)." University of Maryland Medical Center. University of Maryland, 16 July 2013. Web. 11 Mar. 2016. (Artigo)

NESS, A. R.; CHEE, D.; ELLIOTT, P. Vitamin C and blood pressure–an overview. Journal of human hypertension, v. 11, n. 6, 1997. (Artigo)

NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. What is vitamin C and what does it do? Disponível em: <https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminC-Consumer/>. Acesso em 02 Mai. 2017.

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top