Probióticos: Conheça o incrível potencial de cura das bactérias do bem

A ideia de ingerir bactérias para tratar ou curar doenças pode parecer estranha. Afinal, nós fomos ensinados desde pequenos a lavar as mãos antes de comer ou limpar um corte para evitar infecções. Mas apesar do nosso esforço em nos livrarmos de bactérias, a batalha está perdida. O nosso corpo hospeda trilhões delas – segundo estimativas, temos 10 vezes mais bactérias do que células no corpo.

Mas não precisa se assustar: essas bactérias não são patogênicas (que causam doenças). Pelo contrário, algumas delas são essenciais para nos manter saudáveis. E quando nosso ecossistema de bactérias (microbioma) se desequilibra, as bactérias nocivas ultrapassam o número das bactérias boas e nós adoecemos.

É tudo uma questão de equilíbrio

Probiótico (do grego, significa pró-vida) é o contrário de antibiótico. Ou seja, enquanto os antibióticos matam bactérias malignas, os probióticos cultivam bactérias do bem. Eles são pequenas doses de bactérias benignas que fomentam a proliferação de bactérias boas e equilibram nosso microbioma.

O poder dos probióticos

Veja a lista de males contra os quais os probióticos já têm eficiência clinicamente comprovada:

Intolerância a lactose: Lactase, a enzima que quebra a lactose, é produzida no processo de fermentação do yogurt. Estudos comprovam que o consumo de yogurt por pessoas com intolerância a lactose melhorou significativamente o metabolismo da lactose e reduziu os sintomas. Aqui estamos falando de Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus salivarius, subespécie thermophilus.

Diarréia aguda, do viajante ou associada a antibióticos: Probióticos demonstraram benefício claro no tratamento destes males em adultos e crianças. Os tipos de bactérias neste caso são Lactobacillus rhamnosus, Lactobacillus reuteri, e Saccharmoyces bouldarii.

Alergias: Algumas alergias, incluindo eczema atópico e dermatite atópica (e possivelmente rinite alérgica), mostraram melhora após intervenção probiótica. As bactérias ideais para esta abordagem são Lactobacillus GG, Bifidobacterium animalis, e Bifidobacterium lactis.

Infecção por Clostridium difficile: Tratamento antibiótico pode perturbar o balanço da flora intestinal, e o resultado é o aumento da colônia de bactérias C. difficile, um tipo associado a problemas como diarreia e gastroenterite. Para este tratamento indica-se 2 ciclos de Lactobacillus GG com resultado de cura de 94%.

Cárie dentária: A administração de probióticos (Lactobacillus GG neste estudo) resultam em redução de incidência de cáries e redução da bactéria responsável pelo problema em crianças.

Doença inflamatória intestinal/Síndrome do intestino irritável: Alguns estudos mostraram que pacientes com doença inflamatória intestinal tiveram menos crises e conseguiram reduzir a dose de esteróides depois de intervenção probiótica. As bactérias que demonstraram eficácia nestes casos foram Lactobacillus salivarius, Escheria coli strain Nissle, Streptococcus bouldarii, e VSL#3 (uma mistura probiótica).

Perspectiva futura

Existem relatos médicos sobre os benefícios dos probióticos para tratar diversas outras doenças, no entanto eles ainda se baseiam em evidências inconclusivas e necessitam de mais estudos. Estes relatos incluem prevenção ou tratamento de artrite reumatóide, câncer de cólon e de bexiga, diabetes, infecções vaginais, candidíase, ansiedade, depressão, câncer de fígado ou danos causados pelo álcool, stress, transtorno do deficit de atenção com hiperatividade em crianças (TDAH), hemorroida e etc.

Os probióticos não beneficiam apenas os doentes

Quando você equilibra sua colônia de bactérias, você automaticamente melhora a saúde do seu intestino e aumenta a sua capacidade de absorver nutrientes, potencializando o valor nutritivo de sua dieta. Se a sua colônia está desequilibrada, boa parte dos seus esforços em alimentação e suplementação podem estar sendo em vão.

Veja abaixo os demais benefícios nos probióticos:

  • Maior absorção e produção de aminoácidos importantes para o sistema imune e neurotransmissor;
  • Aumentam a absorção e fixação de ferro, cálcio e outros minerais;
  • Potencializam a capacidade que o organismo tem de se desintoxicar;
  • Aumentam a absorção e produção de vitamina B;

LEIA MAIS: Vitamina B – Um verdadeiro time em campo para melhorar sua saúde

Referências

  1. Clostridium difficile Infection – Mayo Clinic
  2. Clinical Indications for Probiotics: An Overview – Oxford Journals, Clinical Infectious Diseases
  3. Health Benefits of Taking Probiotics – Harvard Health Publications
  4. Use of Probiotics in Gastrointestinal Disorders: What to Recommend? – Therapeutic Advances in Gastroenterology
Writing Labdoor
Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Probióticos: Conheça o incrível potencial de cura das bactérias do bem

A ideia de ingerir bactérias para tratar ou curar doenças pode parecer estranha. Afinal, nós fomos ensinados desde pequenos a lavar as mãos antes de comer ou limpar um corte para evitar infecções. Mas apesar do nosso esforço em nos livrarmos de bactérias, a batalha está perdida. O nosso corpo hospeda trilhões delas – segundo estimativas, temos 10 vezes mais bactérias do que células no corpo.

Mas não precisa se assustar: essas bactérias não são patogênicas (que causam doenças). Pelo contrário, algumas delas são essenciais para nos manter saudáveis. E quando nosso ecossistema de bactérias (microbioma) se desequilibra, as bactérias nocivas ultrapassam o número das bactérias boas e nós adoecemos.

É tudo uma questão de equilíbrio

Probiótico (do grego, significa pró-vida) é o contrário de antibiótico. Ou seja, enquanto os antibióticos matam bactérias malignas, os probióticos cultivam bactérias do bem. Eles são pequenas doses de bactérias benignas que fomentam a proliferação de bactérias boas e equilibram nosso microbioma.

O poder dos probióticos

Veja a lista de males contra os quais os probióticos já têm eficiência clinicamente comprovada:

Intolerância a lactose: Lactase, a enzima que quebra a lactose, é produzida no processo de fermentação do yogurt. Estudos comprovam que o consumo de yogurt por pessoas com intolerância a lactose melhorou significativamente o metabolismo da lactose e reduziu os sintomas. Aqui estamos falando de Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus salivarius, subespécie thermophilus.

Diarréia aguda, do viajante ou associada a antibióticos: Probióticos demonstraram benefício claro no tratamento destes males em adultos e crianças. Os tipos de bactérias neste caso são Lactobacillus rhamnosus, Lactobacillus reuteri, e Saccharmoyces bouldarii.

Alergias: Algumas alergias, incluindo eczema atópico e dermatite atópica (e possivelmente rinite alérgica), mostraram melhora após intervenção probiótica. As bactérias ideais para esta abordagem são Lactobacillus GG, Bifidobacterium animalis, e Bifidobacterium lactis.

Infecção por Clostridium difficile: Tratamento antibiótico pode perturbar o balanço da flora intestinal, e o resultado é o aumento da colônia de bactérias C. difficile, um tipo associado a problemas como diarreia e gastroenterite. Para este tratamento indica-se 2 ciclos de Lactobacillus GG com resultado de cura de 94%.

Cárie dentária: A administração de probióticos (Lactobacillus GG neste estudo) resultam em redução de incidência de cáries e redução da bactéria responsável pelo problema em crianças.

Doença inflamatória intestinal/Síndrome do intestino irritável: Alguns estudos mostraram que pacientes com doença inflamatória intestinal tiveram menos crises e conseguiram reduzir a dose de esteróides depois de intervenção probiótica. As bactérias que demonstraram eficácia nestes casos foram Lactobacillus salivarius, Escheria coli strain Nissle, Streptococcus bouldarii, e VSL#3 (uma mistura probiótica).

Perspectiva futura

Existem relatos médicos sobre os benefícios dos probióticos para tratar diversas outras doenças, no entanto eles ainda se baseiam em evidências inconclusivas e necessitam de mais estudos. Estes relatos incluem prevenção ou tratamento de artrite reumatóide, câncer de cólon e de bexiga, diabetes, infecções vaginais, candidíase, ansiedade, depressão, câncer de fígado ou danos causados pelo álcool, stress, transtorno do deficit de atenção com hiperatividade em crianças (TDAH), hemorroida e etc.

Os probióticos não beneficiam apenas os doentes

Quando você equilibra sua colônia de bactérias, você automaticamente melhora a saúde do seu intestino e aumenta a sua capacidade de absorver nutrientes, potencializando o valor nutritivo de sua dieta. Se a sua colônia está desequilibrada, boa parte dos seus esforços em alimentação e suplementação podem estar sendo em vão.

Veja abaixo os demais benefícios nos probióticos:

  • Maior absorção e produção de aminoácidos importantes para o sistema imune e neurotransmissor;
  • Aumentam a absorção e fixação de ferro, cálcio e outros minerais;
  • Potencializam a capacidade que o organismo tem de se desintoxicar;
  • Aumentam a absorção e produção de vitamina B;

LEIA MAIS: Vitamina B – Um verdadeiro time em campo para melhorar sua saúde

Referências

  1. Clostridium difficile Infection – Mayo Clinic
  2. Clinical Indications for Probiotics: An Overview – Oxford Journals, Clinical Infectious Diseases
  3. Health Benefits of Taking Probiotics – Harvard Health Publications
  4. Use of Probiotics in Gastrointestinal Disorders: What to Recommend? – Therapeutic Advances in Gastroenterology

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top