Em busca da melhor glutamina: resultado das análises

Se você costuma frequentar academias, provavelmente deseja adquirir a melhor glutamina disponível para consumir. Mas será que a informação presente nos rótulos realmente corresponde à composição encontrada no suplemento que você toma?

A glutamina é constantemente consumida por pessoas que praticam exercícios físicos regulares e buscam maiores ganhos musculares, sendo muito comum encontrar atletas e frequentadores de academia que fazem uso desse suplemento.

Para esclarecer as dúvidas desses consumidores, a Labdoor realizou 70 testes nos 14 suplementos à base de glutamina mais vendidos nos EUA. Você irá conferir a seguir os resultados dessas análises.

A quantidade de glutamina é igual ao que dizem os rótulos?

Entre as maiores incertezas dos consumidores na hora de escolher a melhor glutamina está o fato de não saberem se a quantidade indicada no rótulo corresponde com precisão ao conteúdo do produto que estão levando para casa.

Os testes laboratoriais realizados nas amostras obtidas pela Labdoor mostraram que, em geral, a diferença média da quantidade indicada no rótulo e a encontrada nos produtos é de 4,3%. Já a média de concentração de glutamina encontrada chegou a 95,2%.

“As cápsulas e comprimidos apresentaram um pior resultado em relação à precisão do rótulo, revelando tanto a ausência de até 20,7% da glutamina em relação ao rótulo, como também excesso de até 9,4% em algumas amostras”, informou Neil Thanedar, CEO da Labdoor.

Já as formulações em pó apresentaram uma variação bem menor, em torno de 2%. Por conta disso, em relação à quantidade indicada no rótulo e a encontrada no produto, podemos dizer que a melhor glutamina é a versão em pó.

Resultados da pureza encontrada nos produtos

Realizamos testes para verificar os níveis de glutamina e a quantidade presente de metais pesados (como o arsênico, cádmio, chumbo e mercúrio).

Nas análises para definir a melhor glutamina, concluiu-se que todas as amostras encontravam-se dentro dos limites de segurança permitidos pelas leis do Estado da Califórnia, não oferecendo, portanto, riscos à saúde.

A composição dos comprimidos e cápsulas apresentaram no geral formulações menos puras de glutamina. A concentração média encontrada nos comprimidos e cápsulas foi de 90,9%, em comparação aos 98,4% nos suplementos em pó.

E quanto ao valor nutricional?

O valor nutricional também é um fator que deve ser levado em conta na escolha da melhor glutamina. Os suplementos analisados pela Labdoor atingiram uma média de 9,99 (em 10) em termos de valor nutricional.

Os resultados dos testes registraram também quantidades mínimas de calorias, gorduras, carboidratos e açúcares. Além disso, não foi registrada a presença de adoçantes, corantes ou conservantes.

Quantidade ideal para o consumo

Atualmente, não há uma regulamentação a respeito do nível máximo de ingestão tolerável da glutamina para o organismo.

“Apesar dos suplementos no lote testado não apresentarem recomendações sobre a quantidade ideal a ser usada, especialistas defendem que a quantidade segura para o consumo é de 0,65 g por kg de massa corporal, o que corresponde a 45,5 g para uma pessoa de 70 kg”, explica Thanedar.

Existem efeitos colaterais?

Estudos clínicos não apontam efeitos colaterais graves no consumo da glutamina.

Porém, é recomendável que pessoas com problemas de saúde hepática, renal ou psiquiátrica consultem um médico antes de consumir grandes doses de aminoácidos complementares, como a glutamina.

A suplementação de glutamina é mesmo eficaz para os treinos?

Essa é uma questão de grande interesse para os consumidores que buscam a melhor glutamina para obter resultados  mais satisfatórios em seus treinos.

Em se tratando da eficácia da suplementação de glutamina para o exercício físico, a pesquisa mostrou-se inconclusiva.

Alguns estudos indicam que o consumo de até 70 mg por kg de peso corporal provoca uma melhora no desempenho e na recuperação física dos atletas, aumentando as concentrações de glicogênio muscular após um treino exaustivo.

No entanto, outros estudos realizados com até 45 g de glutamina durante 6 semanas, concluíram que ela não era mais eficaz do que o realizado com placebo.

A Labdoor disponibiliza o ranking com base nos resultados das análises das amostras testadas nos EUA. Dessa forma, você poderá constatar qual a melhor glutamina entre as mais vendidas.

Saiba mais sobre a glutamina e o método de análise da Labdoor

A partir de agora, contamos com um canal no Youtube para os leitores do Brasil também. Nós legendamos e traduzimos os vídeos produzidos diretamente em nossa sede localizada nos EUA.

Nesse primeiro vídeo, conheça melhor sobre a ação da glutamina no corpo e entenda o método usado pela Labdoor para analisar e classificar os produtos testados.

Deseja saber mais sobre os testes de suplementos feitos pela Labdoor? Então, cadastre agora mesmo seu e-mail e comece a receber gratuitamente nossa newsletter!

Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

One comment on Em busca da melhor glutamina: resultado das análises

Comments are closed.

Em busca da melhor glutamina: resultado das análises

Se você costuma frequentar academias, provavelmente deseja adquirir a melhor glutamina disponível para consumir. Mas será que a informação presente nos rótulos realmente corresponde à composição encontrada no suplemento que você toma?

A glutamina é constantemente consumida por pessoas que praticam exercícios físicos regulares e buscam maiores ganhos musculares, sendo muito comum encontrar atletas e frequentadores de academia que fazem uso desse suplemento.

Para esclarecer as dúvidas desses consumidores, a Labdoor realizou 70 testes nos 14 suplementos à base de glutamina mais vendidos nos EUA. Você irá conferir a seguir os resultados dessas análises.

A quantidade de glutamina é igual ao que dizem os rótulos?

Entre as maiores incertezas dos consumidores na hora de escolher a melhor glutamina está o fato de não saberem se a quantidade indicada no rótulo corresponde com precisão ao conteúdo do produto que estão levando para casa.

Os testes laboratoriais realizados nas amostras obtidas pela Labdoor mostraram que, em geral, a diferença média da quantidade indicada no rótulo e a encontrada nos produtos é de 4,3%. Já a média de concentração de glutamina encontrada chegou a 95,2%.

“As cápsulas e comprimidos apresentaram um pior resultado em relação à precisão do rótulo, revelando tanto a ausência de até 20,7% da glutamina em relação ao rótulo, como também excesso de até 9,4% em algumas amostras”, informou Neil Thanedar, CEO da Labdoor.

Já as formulações em pó apresentaram uma variação bem menor, em torno de 2%. Por conta disso, em relação à quantidade indicada no rótulo e a encontrada no produto, podemos dizer que a melhor glutamina é a versão em pó.

Resultados da pureza encontrada nos produtos

Realizamos testes para verificar os níveis de glutamina e a quantidade presente de metais pesados (como o arsênico, cádmio, chumbo e mercúrio).

Nas análises para definir a melhor glutamina, concluiu-se que todas as amostras encontravam-se dentro dos limites de segurança permitidos pelas leis do Estado da Califórnia, não oferecendo, portanto, riscos à saúde.

A composição dos comprimidos e cápsulas apresentaram no geral formulações menos puras de glutamina. A concentração média encontrada nos comprimidos e cápsulas foi de 90,9%, em comparação aos 98,4% nos suplementos em pó.

E quanto ao valor nutricional?

O valor nutricional também é um fator que deve ser levado em conta na escolha da melhor glutamina. Os suplementos analisados pela Labdoor atingiram uma média de 9,99 (em 10) em termos de valor nutricional.

Os resultados dos testes registraram também quantidades mínimas de calorias, gorduras, carboidratos e açúcares. Além disso, não foi registrada a presença de adoçantes, corantes ou conservantes.

Quantidade ideal para o consumo

Atualmente, não há uma regulamentação a respeito do nível máximo de ingestão tolerável da glutamina para o organismo.

“Apesar dos suplementos no lote testado não apresentarem recomendações sobre a quantidade ideal a ser usada, especialistas defendem que a quantidade segura para o consumo é de 0,65 g por kg de massa corporal, o que corresponde a 45,5 g para uma pessoa de 70 kg”, explica Thanedar.

Existem efeitos colaterais?

Estudos clínicos não apontam efeitos colaterais graves no consumo da glutamina.

Porém, é recomendável que pessoas com problemas de saúde hepática, renal ou psiquiátrica consultem um médico antes de consumir grandes doses de aminoácidos complementares, como a glutamina.

A suplementação de glutamina é mesmo eficaz para os treinos?

Essa é uma questão de grande interesse para os consumidores que buscam a melhor glutamina para obter resultados  mais satisfatórios em seus treinos.

Em se tratando da eficácia da suplementação de glutamina para o exercício físico, a pesquisa mostrou-se inconclusiva.

Alguns estudos indicam que o consumo de até 70 mg por kg de peso corporal provoca uma melhora no desempenho e na recuperação física dos atletas, aumentando as concentrações de glicogênio muscular após um treino exaustivo.

No entanto, outros estudos realizados com até 45 g de glutamina durante 6 semanas, concluíram que ela não era mais eficaz do que o realizado com placebo.

A Labdoor disponibiliza o ranking com base nos resultados das análises das amostras testadas nos EUA. Dessa forma, você poderá constatar qual a melhor glutamina entre as mais vendidas.

Saiba mais sobre a glutamina e o método de análise da Labdoor

A partir de agora, contamos com um canal no Youtube para os leitores do Brasil também. Nós legendamos e traduzimos os vídeos produzidos diretamente em nossa sede localizada nos EUA.

Nesse primeiro vídeo, conheça melhor sobre a ação da glutamina no corpo e entenda o método usado pela Labdoor para analisar e classificar os produtos testados.

Deseja saber mais sobre os testes de suplementos feitos pela Labdoor? Então, cadastre agora mesmo seu e-mail e comece a receber gratuitamente nossa newsletter!

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top