Melatonina: conheça os efeitos do hormônio do sono

A melatonina é um hormônio produzido pelo nosso organismo e conhecido pela maioria das pessoas somente por sua função na regulação do sono. Entretanto, além de ter papel fundamental para ajudar a dormir, foram comprovados seus efeitos no auxílio do emagrecimento, contra Alzheimer e controle de enxaqueca.

O que é melatonina?

A melatonina, (N-acetil-5-metoxitriptamina) é um hormônio indolaminérgico, que é sintetizado pelo triptofano, derivado da serotonina, e secretado pela glândula pineal no cérebro (1).  A glândula pineal atua na estruturação e organização cronológica do organismo. É responsável pelo chamado ritmo sazonal e circadiano, controle da relação sono-vigília e sobre a reprodução (2).

O padrão de produção da melatonina é propiciado pelo ambiente escuro, com concentrações que aumentam no início da noite e atingem o pico de produção entre 2:00h e 3:00h da manhã.  Ao acordar recebermos a luz do sol ela diminui, entrando em cena a serotonina.

A relação entre e o bom humor e dormir bem tem sua explicação científica comprovada, uma vez que quanto mais serotonina, “hormônio da felicidade”, for liberada durante o dia, mais melatonina é convertida durante a noite, para um sono de qualidade.

Muito além da regulação do sono

Os efeitos da melatonina vão muito além da regulação do sono. Este importante hormônio, é cada vez mais estudado e apresenta benefícios significativos para nossa saúde. Conheça alguns desses benefícios a seguir:

  • Prevenção e tratamento de dores de cabeça e enxaqueca: Em estudo randomizado e multicêntrico recentemente realizado, comparando a melatonina com o tratamento padrão com antidepressivos tricíclicos (amitriptilina) em pacientes entre 18 e 65 anos, foi comprovada a significativa redução em mais de 50% dos pacientes no grupo da melatonina (3).
  • Envelhecimento e doença de Alzheimer: O hormônio apresenta efeitos antioxidantes que reduzem o estresse oxidativo, resultando em melhoria da saúde e retardo do envelhecimento. Além disso, a substância tem importante papel na manutenção da função mental e memória, prevenindo e reduzindo os efeitos da doença de Alzheimer (4).
  • Emagrecimento: Já é sabido que o sono tem influência no ganho de peso, e por este motivo estudiosos identificaram que a melatonina quando ingerida como suplemento atua no controle da glicose, níveis de colesterol, aumenta o HDL (colesterol bom) e reduz o LDL (colesterol ruim), além de controlar os lipídeos na corrente sanguínea (5). Atua acelerando o metabolismo e facilitando a perda de peso.
  • Melhora da Imunidade: A noite, enquanto dormimos, nosso sistema imunológico se restabelece. O “hormônio do sono” teve comprovada participação na melhora da imunidade através da liberação das citocinas, proteínas que atuam na defesa do organismo  (6).

Dicas para estimular a produção da melatonina

Como apresentado no best seller The Melatonin Miracle [o milagre da melatonina]:

“Somos a primeira geração a ter o poder de prevenir doenças, de preservar a juventude e manter a vitalidade e o vigor pela vida afora”.

Sendo assim, o objetivo principal é estimular a produção deste hormônio. Apresentamos algumas dicas para você aprender como dormir rápido:

  • Tenha horários regulares para dormir e acordar: o organismo funciona de forma sincronizada e equilibrada quando se tem hábitos e regularidade;
  • Ambiente confortável para dormir: um sono de qualidade é fundamental, então uma cama confortável, um ambiente organizado e relaxante é essencial para um bom sono;
  • Não fique exposto à luz enquanto dorme: evite lâmpadas acesas, feche bem persianas, evite o uso do celular ou computador antes de dormir. Reduza fontes de luminosidade que podem atrapalhar na produção da melatonina;
  • Ingestão de alimentos adequados: favoreça a ingestão de alimentos tais como abacaxi, banana, tomate, nozes, uvas, entre outros ricos em triptofanos e evite o consumo excessivo de cafeína e derivados;
  • Pratique exercícios físicos: quanto mais serotonina e outros hormônios produzidos durante a exposição ao sol e a prática de exercícios físicos, maior a conversão em melatonina enquanto dorme.

Uso terapêutico ou suplementar

É importante saber que este hormônio pode ser encontrado em como suplemento ou medicamento em países como Estados Unidos, países da Europa, Argentina e Chile e é indicado clinicamente para o tratamento de insônia e em muitos casos por sua eficácia e benefícios à saúde.

Entretanto, no Brasil não há registro de produtos ou medicamentos com este ativo, e por este motivo sua comercialização ainda não é liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Para aqueles pacientes que tenham indicação deste produto por um profissional médico, a legislação permite a importação do produto (7).

No final de Outubro (2016) a ANVISA liberou a comercialização de melatonina por apensa uma empresa, a Active Pharmaceutica, que poderá importar o hormônio e vendê-lo para farmácias de manipulação.

Já conhecia os benefícios da melatonina? Quer receber ficar atualizado sobre este e outros assuntos? É só se inscrever na nossa Newsletter!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] REITER, Russel J.; TAN, Dun Xian; GALANO, Annia. Melatonin: exceeding expectations. Physiology, v. 29, n. 5, p. 325-333, 2014. (Artigo)

[2] DE BRUIN, Veralice Meireles Sales. Importância da Melatonina na Regulação do Sono e do Ritmo Circadiano–Uma Abordagem Clínica. Disponível em <http://www.espacosano.com.br/pagina/53/140/#.WDV_tuYrK70> Acesso em: 19 de nov de 2016.

[3] GONÇALVES, Andre Leite et al. Randomised clinical trial comparing melatonin 3 mg, amitriptyline 25 mg and placebo for migraine prevention. Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry, p. jnnp-2016-313458, 2016. (Artigo)

[4] LIN, Li et al. Melatonin in Alzheimer’s disease. International journal of molecular sciences, v. 14, n. 7, p. 14575-14593, 2013. (Artigo)

[5] BONNEFONT-ROUSSELOT, Dominique. Obesity and oxidative stress: potential roles of melatonin as antioxidant and metabolic regulator. Endocrine, Metabolic & Immune Disorders-Drug Targets (Formerly Current Drug Targets-Immune, Endocrine & Metabolic Disorders), v. 14, n. 3, p. 159-168, 2014. (Artigo)

[6] ZENTENO, Maria Emilia. Efeito da melatonina no desenvolvimento da resposta imune mediada por linfócitos T CD4. 2015. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. (Artigo)

[7] PIERPAOLI, Walter; REGELSON, William; COLMAN, Carol. The melatonin miracle: Nature's age-reversing, disease-fighting, sex-enhancing hormone. Simon and Schuster, 1996. (Artigo)

[8] ANVISA. Nota Técnica Melatonina. Disponível em <https://goo.gl/5x8rcf> Acesso em: 19 de nov de 2016.

Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Melatonina: conheça os efeitos do hormônio do sono

A melatonina é um hormônio produzido pelo nosso organismo e conhecido pela maioria das pessoas somente por sua função na regulação do sono. Entretanto, além de ter papel fundamental para ajudar a dormir, foram comprovados seus efeitos no auxílio do emagrecimento, contra Alzheimer e controle de enxaqueca.

O que é melatonina?

A melatonina, (N-acetil-5-metoxitriptamina) é um hormônio indolaminérgico, que é sintetizado pelo triptofano, derivado da serotonina, e secretado pela glândula pineal no cérebro (1).  A glândula pineal atua na estruturação e organização cronológica do organismo. É responsável pelo chamado ritmo sazonal e circadiano, controle da relação sono-vigília e sobre a reprodução (2).

O padrão de produção da melatonina é propiciado pelo ambiente escuro, com concentrações que aumentam no início da noite e atingem o pico de produção entre 2:00h e 3:00h da manhã.  Ao acordar recebermos a luz do sol ela diminui, entrando em cena a serotonina.

A relação entre e o bom humor e dormir bem tem sua explicação científica comprovada, uma vez que quanto mais serotonina, “hormônio da felicidade”, for liberada durante o dia, mais melatonina é convertida durante a noite, para um sono de qualidade.

Muito além da regulação do sono

Os efeitos da melatonina vão muito além da regulação do sono. Este importante hormônio, é cada vez mais estudado e apresenta benefícios significativos para nossa saúde. Conheça alguns desses benefícios a seguir:

  • Prevenção e tratamento de dores de cabeça e enxaqueca: Em estudo randomizado e multicêntrico recentemente realizado, comparando a melatonina com o tratamento padrão com antidepressivos tricíclicos (amitriptilina) em pacientes entre 18 e 65 anos, foi comprovada a significativa redução em mais de 50% dos pacientes no grupo da melatonina (3).
  • Envelhecimento e doença de Alzheimer: O hormônio apresenta efeitos antioxidantes que reduzem o estresse oxidativo, resultando em melhoria da saúde e retardo do envelhecimento. Além disso, a substância tem importante papel na manutenção da função mental e memória, prevenindo e reduzindo os efeitos da doença de Alzheimer (4).
  • Emagrecimento: Já é sabido que o sono tem influência no ganho de peso, e por este motivo estudiosos identificaram que a melatonina quando ingerida como suplemento atua no controle da glicose, níveis de colesterol, aumenta o HDL (colesterol bom) e reduz o LDL (colesterol ruim), além de controlar os lipídeos na corrente sanguínea (5). Atua acelerando o metabolismo e facilitando a perda de peso.
  • Melhora da Imunidade: A noite, enquanto dormimos, nosso sistema imunológico se restabelece. O “hormônio do sono” teve comprovada participação na melhora da imunidade através da liberação das citocinas, proteínas que atuam na defesa do organismo  (6).

Dicas para estimular a produção da melatonina

Como apresentado no best seller The Melatonin Miracle [o milagre da melatonina]:

“Somos a primeira geração a ter o poder de prevenir doenças, de preservar a juventude e manter a vitalidade e o vigor pela vida afora”.

Sendo assim, o objetivo principal é estimular a produção deste hormônio. Apresentamos algumas dicas para você aprender como dormir rápido:

  • Tenha horários regulares para dormir e acordar: o organismo funciona de forma sincronizada e equilibrada quando se tem hábitos e regularidade;
  • Ambiente confortável para dormir: um sono de qualidade é fundamental, então uma cama confortável, um ambiente organizado e relaxante é essencial para um bom sono;
  • Não fique exposto à luz enquanto dorme: evite lâmpadas acesas, feche bem persianas, evite o uso do celular ou computador antes de dormir. Reduza fontes de luminosidade que podem atrapalhar na produção da melatonina;
  • Ingestão de alimentos adequados: favoreça a ingestão de alimentos tais como abacaxi, banana, tomate, nozes, uvas, entre outros ricos em triptofanos e evite o consumo excessivo de cafeína e derivados;
  • Pratique exercícios físicos: quanto mais serotonina e outros hormônios produzidos durante a exposição ao sol e a prática de exercícios físicos, maior a conversão em melatonina enquanto dorme.

Uso terapêutico ou suplementar

É importante saber que este hormônio pode ser encontrado em como suplemento ou medicamento em países como Estados Unidos, países da Europa, Argentina e Chile e é indicado clinicamente para o tratamento de insônia e em muitos casos por sua eficácia e benefícios à saúde.

Entretanto, no Brasil não há registro de produtos ou medicamentos com este ativo, e por este motivo sua comercialização ainda não é liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Para aqueles pacientes que tenham indicação deste produto por um profissional médico, a legislação permite a importação do produto (7).

No final de Outubro (2016) a ANVISA liberou a comercialização de melatonina por apensa uma empresa, a Active Pharmaceutica, que poderá importar o hormônio e vendê-lo para farmácias de manipulação.

Já conhecia os benefícios da melatonina? Quer receber ficar atualizado sobre este e outros assuntos? É só se inscrever na nossa Newsletter!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] REITER, Russel J.; TAN, Dun Xian; GALANO, Annia. Melatonin: exceeding expectations. Physiology, v. 29, n. 5, p. 325-333, 2014. (Artigo)

[2] DE BRUIN, Veralice Meireles Sales. Importância da Melatonina na Regulação do Sono e do Ritmo Circadiano–Uma Abordagem Clínica. Disponível em <http://www.espacosano.com.br/pagina/53/140/#.WDV_tuYrK70> Acesso em: 19 de nov de 2016.

[3] GONÇALVES, Andre Leite et al. Randomised clinical trial comparing melatonin 3 mg, amitriptyline 25 mg and placebo for migraine prevention. Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry, p. jnnp-2016-313458, 2016. (Artigo)

[4] LIN, Li et al. Melatonin in Alzheimer’s disease. International journal of molecular sciences, v. 14, n. 7, p. 14575-14593, 2013. (Artigo)

[5] BONNEFONT-ROUSSELOT, Dominique. Obesity and oxidative stress: potential roles of melatonin as antioxidant and metabolic regulator. Endocrine, Metabolic & Immune Disorders-Drug Targets (Formerly Current Drug Targets-Immune, Endocrine & Metabolic Disorders), v. 14, n. 3, p. 159-168, 2014. (Artigo)

[6] ZENTENO, Maria Emilia. Efeito da melatonina no desenvolvimento da resposta imune mediada por linfócitos T CD4. 2015. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. (Artigo)

[7] PIERPAOLI, Walter; REGELSON, William; COLMAN, Carol. The melatonin miracle: Nature's age-reversing, disease-fighting, sex-enhancing hormone. Simon and Schuster, 1996. (Artigo)

[8] ANVISA. Nota Técnica Melatonina. Disponível em <https://goo.gl/5x8rcf> Acesso em: 19 de nov de 2016.

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top