Deficiências nutricionais que podem colocar em risco a qualidade de vida da mulher

No mês em que se dedica atenção especial à saúde feminina, a Labdoor criou uma lista das deficiências nutricionais mais comuns que podem afetar diretamente a qualidade de vida da mulher. Vamos aproveitar o Outubro Rosa para dar atenção especial à saúde delas e mostrar como comer corretamente e manter certos hábitos diários podem ajudar na garantia de qualidade de vida.

Anemia

  • O que é?

A anemia é diagnosticada quando há menos de 12.0g/100mL de hemoglobinas no sangue de mulheres e menos de 13.5g/100mL no de homens. Essa condição ocorre quando a produção de glóbulos vermelhos diminui ou quando há aumento na destruição ou perda dessas células.

Ter um nível normal de glóbulos vermelhos é importante para a qualidade de vida da mulher e do homem, pois eles são os principais responsáveis por transportar o oxigênio pelo corpo e eliminar o dióxido de carbono.

Há diferentes tipos de anemia: anemia aplástica, anemia ferroprivativa, anemia hemolítica, anemia falciforme e anemia perniciosa.

  • Quantas mulheres têm isso?

É estimado que uma em cada cinco mulheres em idade fértil desenvolva anemia. Isso ocorre devido à perda de sangue durante a menstruação.

  • Fatores de risco:
    • Dieta baixa em ferro e minerais
    • Histórico de anemia na família
    • Perda de sangue
    • Baixos níveis de Eritropoietina, hormônio necessário para a criação de glóbulos vermelhos
    • Doenças crônicas como AIDS, câncer, doenças do fígado e de coração

LEIA TAMBÉM: Fome oculta. O problema nutricional que afeta 1 em cada 4 pessoas.

  • Como prevenir

Manter uma dieta rica em ferro (folhas verdes, carne vermelha e gema de ovo) é um dos pontos para prevenir anemia e garantir a qualidade de vida da mulher. Se sua alimentação não contém minerais e ferro suficientes, considere a possibilidade de tomar suplementos.

Entretanto, a anemia falciforme não pode ser prevenida, pois é uma condição de base genética. Neste caso, profissionais da saúde qualificados podem prescrever medicações que auxiliam no tratamento e administração da doença.

Deficiência em vitamina A

  • O que é?

É uma quantidade insuficiente de vitamina A no corpo. A vitamina A é importante para o crescimento ósseo e visão. De acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, a recomendação diária de ingestão de vitamina A é de 400-600 mcg para crianças, 600-700 mcg para adultos e 750-1300 mcg para gestantes e mulheres em fase de amamentação.

A deficiência em vitamina A, também conhecida como Hipovitaminose A, é uma condição que ocorre principalmente em crianças e gestantes e pode levar à cegueira e morte.

  • Quantas mulheres têm isso?

Países de primeiro mundo, onde a qualidade de vida da mulher é maior, têm riscos baixos de deficiência em vitamina A, porém em países da África e Ásia a Hipovitaminose A é um fenômeno frequente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, mundialmente, cerca de 33,3% das crianças e 15,3% das gestantes estão em risco de ter deficiência em vitamina A.

  • Fatores de risco:
    • Bebês, crianças e gestantes de países de baixa renda
    • Dieta vegana
    • Alcoolismo
  • Como prevenir

Coma muitos alimentos ricos em vitamina A, como batata doce, cenoura, manga, melão cantalupe e folhas verdes escuras. Se você tem risco de ter deficiência de vitamina A, considere o uso de suplementos.

Deficiência em vitamina D

  • O que é?

É considerada deficiência quando há menos de 12 ng/mL de vitamina D no sangue: uma pessoa saudável deve ter ao menos 20 ng/mL. A vitamina D é essencial para o corpo e para a qualidade de vida da mulher, já que ajuda na absorção de cálcio pelos ossos e nos movimentos musculares. A vitamina D também previne osteoporose e osteopenia (condição precursora da osteoporose).

Pessoas com deficiência em vitamina D têm risco de raquitismo, uma deformação e enfraquecimento dos ossos.

A deficiência em vitamina D também já foi associada à comprometimento cognitivo, câncer e asma aguda em crianças. De acordo com o Instituto de Medicina Americano, a recomendação para um adulto é de 600 UI por dia de vitamina D, sendo que idosos com mais de 70 anos devem ingerir mais de 800 IU.

  • Quantas mulheres têm isso?

De acordo com um estudo de 2012 do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, 65% das mulheres negras norte-americanas têm deficiência de vitamina D, contra apenas 20% das mulheres brancas.

  • Fatores de risco:
    • Obesidade
    • Problemas de absorção
    • Intolerância à lactose ou alergia ao leite
    • Envelhecimento – a capacidade de sintetizar a vitamina D a partir do sol diminui com a idade
    • Pessoas negras e de pele escura – a melanina da pele reduz a capacidade de sintetizar a vitamina D a partir do sol
  • Como prevenir
    • Tome suficiente sol
    • Coma alimentos ricos em vitamina D, como salmão, cavala, leite e suco de laranja
    • Tome suplementos de vitamina D

Osteoporose

  • O que é?

Osteoporose é a perda de densidade nos ossos, o que leva os ossos a ficarem fracos e sensíveis, com facilidade para fraturas.

  • Quantas mulheres têm isso?

80% dos 10 milhões de norte-americanos afetados pela osteoporose são mulheres.

  • Fatores de risco:
    • Ser mulher
    • Menopausa – o estrogênio, hormônio que ajuda a proteger os ossos, diminui na menopausa
    • Baixos níveis de vitamina D – como já vimos, essa vitamina ajuda na absorção de cálcio pelos ossos. Quando seus níveis estão baixos, isso significa que há menores chances de o cálcio ser absorvido pelos ossos.
    • Baixos níveis de cálcio – o mineral ajuda na solidificação e fortalecimentos dos ossos
    • Falta de exercícios
    • Mulheres asiáticas e caucasianas têm mais chances de ter osteoporose em relação à outros grupos étnicos
  • Como prevenir

Faça exercícios regulares aliados à uma dieta balanceada – além de prevenir a osteoporose, garantem a qualidade de vida da mulher. A vitamina D pode ser adquirida com a ingestão regular de peixes, leite de soja, suco de laranja e banhos de sol. O cálcio é encontrado em produtos lácteos como leite e iogurte. Se sua dieta não provê quantidade suficientes de cada nutriente, considere usar suplementos.

Gostou das dicas? Então está esperando o quê para compartilhar este artigo com as mulheres da sua família?

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NATIONAL OSTEOPOROSIS FOUNDATION. What Women Need to Know. Disponível em: <<https://www.nof.org/prevention/general-facts/what-women-need-to-know/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

HEALTHLINE. Types of Nutritional Deficiency. Disponível em: <http://www.healthline.com/health/malnutrition#Types2>. Acesso em: 30 de out. 2016.

NATIONAL HEART, LUNG, AND BLOOD INSTITUTE. What is Anemia?. Disponível em: <http://www.nhlbi.nih.gov/health/health-topics/topics/anemia/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global prevalence of vitamin A deficiency in population at risk: 1995-2005. Disponível em: <http://www.who.int/vmnis/database/vitamina/x/en/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Vitamin and Mineral Requirements in Human Nutrition. Disponível em: <http://www.who.int/vmnis/database/vitamina/x/en/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

MEDSCAPE. Vitamin A Deficiency. Disponível em: <http://emedicine.medscape.com/article/126004-overview>. Acesso em: 30 de out. 2016.

OFFICE OF DIETARY SUPPLEMENTS, NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. Vitamin A. Disponível em: <https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminA-HealthProfessional/#h2>. Acesso em: 30 de out. 2016.

OFFICE OF DIETARY SUPPLEMENTS, NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. Vitamin A. Disponível em: <https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminA-HealthProfessional/#h2>. Acesso em: 30 de out. 2016.

MEDICINENET.COM. Vitamin A Deficiency. Disponível em: <http://www.medicinenet.com/vitamin_d_deficiency/page2.htm>. Acesso em: 30 de out. 2016.
Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Deficiências nutricionais que podem colocar em risco a qualidade de vida da mulher

No mês em que se dedica atenção especial à saúde feminina, a Labdoor criou uma lista das deficiências nutricionais mais comuns que podem afetar diretamente a qualidade de vida da mulher. Vamos aproveitar o Outubro Rosa para dar atenção especial à saúde delas e mostrar como comer corretamente e manter certos hábitos diários podem ajudar na garantia de qualidade de vida.

Anemia

  • O que é?

A anemia é diagnosticada quando há menos de 12.0g/100mL de hemoglobinas no sangue de mulheres e menos de 13.5g/100mL no de homens. Essa condição ocorre quando a produção de glóbulos vermelhos diminui ou quando há aumento na destruição ou perda dessas células.

Ter um nível normal de glóbulos vermelhos é importante para a qualidade de vida da mulher e do homem, pois eles são os principais responsáveis por transportar o oxigênio pelo corpo e eliminar o dióxido de carbono.

Há diferentes tipos de anemia: anemia aplástica, anemia ferroprivativa, anemia hemolítica, anemia falciforme e anemia perniciosa.

  • Quantas mulheres têm isso?

É estimado que uma em cada cinco mulheres em idade fértil desenvolva anemia. Isso ocorre devido à perda de sangue durante a menstruação.

  • Fatores de risco:
    • Dieta baixa em ferro e minerais
    • Histórico de anemia na família
    • Perda de sangue
    • Baixos níveis de Eritropoietina, hormônio necessário para a criação de glóbulos vermelhos
    • Doenças crônicas como AIDS, câncer, doenças do fígado e de coração

LEIA TAMBÉM: Fome oculta. O problema nutricional que afeta 1 em cada 4 pessoas.

  • Como prevenir

Manter uma dieta rica em ferro (folhas verdes, carne vermelha e gema de ovo) é um dos pontos para prevenir anemia e garantir a qualidade de vida da mulher. Se sua alimentação não contém minerais e ferro suficientes, considere a possibilidade de tomar suplementos.

Entretanto, a anemia falciforme não pode ser prevenida, pois é uma condição de base genética. Neste caso, profissionais da saúde qualificados podem prescrever medicações que auxiliam no tratamento e administração da doença.

Deficiência em vitamina A

  • O que é?

É uma quantidade insuficiente de vitamina A no corpo. A vitamina A é importante para o crescimento ósseo e visão. De acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, a recomendação diária de ingestão de vitamina A é de 400-600 mcg para crianças, 600-700 mcg para adultos e 750-1300 mcg para gestantes e mulheres em fase de amamentação.

A deficiência em vitamina A, também conhecida como Hipovitaminose A, é uma condição que ocorre principalmente em crianças e gestantes e pode levar à cegueira e morte.

  • Quantas mulheres têm isso?

Países de primeiro mundo, onde a qualidade de vida da mulher é maior, têm riscos baixos de deficiência em vitamina A, porém em países da África e Ásia a Hipovitaminose A é um fenômeno frequente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, mundialmente, cerca de 33,3% das crianças e 15,3% das gestantes estão em risco de ter deficiência em vitamina A.

  • Fatores de risco:
    • Bebês, crianças e gestantes de países de baixa renda
    • Dieta vegana
    • Alcoolismo
  • Como prevenir

Coma muitos alimentos ricos em vitamina A, como batata doce, cenoura, manga, melão cantalupe e folhas verdes escuras. Se você tem risco de ter deficiência de vitamina A, considere o uso de suplementos.

Deficiência em vitamina D

  • O que é?

É considerada deficiência quando há menos de 12 ng/mL de vitamina D no sangue: uma pessoa saudável deve ter ao menos 20 ng/mL. A vitamina D é essencial para o corpo e para a qualidade de vida da mulher, já que ajuda na absorção de cálcio pelos ossos e nos movimentos musculares. A vitamina D também previne osteoporose e osteopenia (condição precursora da osteoporose).

Pessoas com deficiência em vitamina D têm risco de raquitismo, uma deformação e enfraquecimento dos ossos.

A deficiência em vitamina D também já foi associada à comprometimento cognitivo, câncer e asma aguda em crianças. De acordo com o Instituto de Medicina Americano, a recomendação para um adulto é de 600 UI por dia de vitamina D, sendo que idosos com mais de 70 anos devem ingerir mais de 800 IU.

  • Quantas mulheres têm isso?

De acordo com um estudo de 2012 do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, 65% das mulheres negras norte-americanas têm deficiência de vitamina D, contra apenas 20% das mulheres brancas.

  • Fatores de risco:
    • Obesidade
    • Problemas de absorção
    • Intolerância à lactose ou alergia ao leite
    • Envelhecimento – a capacidade de sintetizar a vitamina D a partir do sol diminui com a idade
    • Pessoas negras e de pele escura – a melanina da pele reduz a capacidade de sintetizar a vitamina D a partir do sol
  • Como prevenir
    • Tome suficiente sol
    • Coma alimentos ricos em vitamina D, como salmão, cavala, leite e suco de laranja
    • Tome suplementos de vitamina D

Osteoporose

  • O que é?

Osteoporose é a perda de densidade nos ossos, o que leva os ossos a ficarem fracos e sensíveis, com facilidade para fraturas.

  • Quantas mulheres têm isso?

80% dos 10 milhões de norte-americanos afetados pela osteoporose são mulheres.

  • Fatores de risco:
    • Ser mulher
    • Menopausa – o estrogênio, hormônio que ajuda a proteger os ossos, diminui na menopausa
    • Baixos níveis de vitamina D – como já vimos, essa vitamina ajuda na absorção de cálcio pelos ossos. Quando seus níveis estão baixos, isso significa que há menores chances de o cálcio ser absorvido pelos ossos.
    • Baixos níveis de cálcio – o mineral ajuda na solidificação e fortalecimentos dos ossos
    • Falta de exercícios
    • Mulheres asiáticas e caucasianas têm mais chances de ter osteoporose em relação à outros grupos étnicos
  • Como prevenir

Faça exercícios regulares aliados à uma dieta balanceada – além de prevenir a osteoporose, garantem a qualidade de vida da mulher. A vitamina D pode ser adquirida com a ingestão regular de peixes, leite de soja, suco de laranja e banhos de sol. O cálcio é encontrado em produtos lácteos como leite e iogurte. Se sua dieta não provê quantidade suficientes de cada nutriente, considere usar suplementos.

Gostou das dicas? Então está esperando o quê para compartilhar este artigo com as mulheres da sua família?

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NATIONAL OSTEOPOROSIS FOUNDATION. What Women Need to Know. Disponível em: <<https://www.nof.org/prevention/general-facts/what-women-need-to-know/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

HEALTHLINE. Types of Nutritional Deficiency. Disponível em: <http://www.healthline.com/health/malnutrition#Types2>. Acesso em: 30 de out. 2016.

NATIONAL HEART, LUNG, AND BLOOD INSTITUTE. What is Anemia?. Disponível em: <http://www.nhlbi.nih.gov/health/health-topics/topics/anemia/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global prevalence of vitamin A deficiency in population at risk: 1995-2005. Disponível em: <http://www.who.int/vmnis/database/vitamina/x/en/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Vitamin and Mineral Requirements in Human Nutrition. Disponível em: <http://www.who.int/vmnis/database/vitamina/x/en/>. Acesso em: 30 de out. 2016.

MEDSCAPE. Vitamin A Deficiency. Disponível em: <http://emedicine.medscape.com/article/126004-overview>. Acesso em: 30 de out. 2016.

OFFICE OF DIETARY SUPPLEMENTS, NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. Vitamin A. Disponível em: <https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminA-HealthProfessional/#h2>. Acesso em: 30 de out. 2016.

OFFICE OF DIETARY SUPPLEMENTS, NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. Vitamin A. Disponível em: <https://ods.od.nih.gov/factsheets/VitaminA-HealthProfessional/#h2>. Acesso em: 30 de out. 2016.

MEDICINENET.COM. Vitamin A Deficiency. Disponível em: <http://www.medicinenet.com/vitamin_d_deficiency/page2.htm>. Acesso em: 30 de out. 2016.

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top