CoQ10: Benefícios para a saúde muito além do antirrugas

A Coenzima Q10, ou CoQ10, é um componente presente em praticamente todas as células do corpo humano. Por ser tão essencial ao organismo e apresentar tantos benefícios à saúde, é surpreendente que se fale tão pouco sobre a substância. Neste artigo falaremos sobre os sintomas de deficiência de CoQ10, os benefícios de tomá-la, os efeitos colaterais e principais fontes naturais.

Muito além do creme antirrugas

Nós possuímos cerca de 2g de Coenzima Q10 em nosso corpo, e a maioria se concentra em nossos corações. A CoQ10 também aparece em grandes concentrações em nossos cérebros, principalmente no córtex, que gerencia a linguagem e processamento de informações.

Dentro de nossas células microscópicas, a CoQ10 participa da produção de outras moléculas que, juntas, facilitam a produção de energia. No sangue, a CoQ10 também pode agir como um poderoso antioxidante enquanto combate radicais livres.

A deficiência de Coenzima Q10

Nós somos capazes de produzir naturalmente grande parte do CoQ10 necessário para a saúde do organismo. Mas nós também precisamos consumir diariamente entre 30 e 100 mg da substância. Estudos sobre a população europeia e asiática mostram que a média de ingestão se limita a apenas 3 e 6 mg/dia, tornando a suplementação necessária.

Além da baixa ingestão de CoQ10, existe uma série de fatores que podem afetar os níveis de CoQ10 no organismo, como:

  • Envelhecimento
  • Doenças genéticas que interrompem a produção natural de CoQ10;
  • Câncer;
  • Diabetes;
  • Doença cardíaca;
  • HIV/AIDS
  • Distrofias musculares;
  • Depressão;
  • Mal de Parkinson
  • Tabagismo
  • Uso de estatinas, uma classe de remédios para diminuição do colesterol

Sintomas da deficiência

Os sintomas da falta de CoQ10 são vagos e podem ser confundidos com sintomas de diversas outras condições de saúde:

  • Fraqueza muscular
  • Fadiga
  • Pressão alta
  • Lentidão de pensamento
  • Dor no peito
  • Falência cardíaca
  • Convulsões

LEIA TAMBÉM: Deficiências nutricionais que podem colocar em risco a qualidade de vida da mulher

Fontes de CoQ10 na alimentação

Tipicamente os alimentos não são boas fontes de CoQ10, pois apresentam concentrações relativamente baixas. No entanto, alguns alimentos possuem uma maior concentração da substância:

  • Órgãos de animais terrestres, como coração e fígado, são os alimentos mais ricos em CoQ10
  • Sardinha
  • Arenque
  • Castanhas e legumes são fontes moderadas

Os benefícios da suplementação

Além de corrigir a deficiência e ajudar na redução dos sintomas, pesquisas demonstram que a suplementação de CoQ10 oferece outros benefícios à saúde:

  • Doenças cardiovasculares: Em pesquisas médicas, o CoQ10 provou trazer inúmeros benefícios em casos de falência cardíaca e recuperação de cirurgias do coração.
  • Doenças neurológicas: A Coenzima Q10 também apresentou benefícios em pesquisas relacionadas a saúde e envelhecimento do sistema nervoso. A explicação mais provável para esta atuação da substância é seu poder antioxidante, que retardaria doenças do sistema nervoso. Um estudo randomizado controlado com 42 pacientes demonstrou que a ingestão de 100mg de CoQ10 três vezes ao dia diminui a frequência de enxaquecas em 30%, e a duração das crises em 45%. Outro estudo mostrou que altas doses de CoQ10 possuem o potencial de atrasar a progressão do mal de parkinson em pacientes que desenvolvem a doença precocemente.

CoQ10 - benefícios para o sistema nervoso

LEIA TAMBÉM: Longevidade saudável e a relação com a glucosamina

Novas frentes de pesquisa

As propriedades terapêuticas da CoQ10 estão apenas começando a serem descobertas. O uso da substância como terapia de suporte para pacientes com Alzheimer está começando a ser estudado, tal como seus benefícios para pacientes com degeneração macular causada por envelhecimento e pacientes se recuperando de cirurgias de cataratas. Existem relatos na literatura médica sobre a possível proteção que a CoQ10 oferece ao coração durante quimioterapia, mas neste caso é imprescindível que se discuta o uso da substância com o médico. Outra importante frente de pesquisa é sobre o câncer. A ação antioxidante do CoQ10 despertou o interesse de alguns pesquisadores que agora conduzem estudos para saber se a suplementação da substância pode proteger nosso DNA de danos oxidativos a ponto de reduzir o risco de câncer.

Segurança dos suplementos

A suplementação da Coenzima Q10 tem demonstrado ser segura até em dosagens altas, como 1200mg/dia. Alguns efeitos colaterais podem aparecer, como erupções cutâneas, náusea, dor abdominal, dor de cabeça e tontura. Por ser um suplemento lipossolúvel, a hora ideal de tomá-lo é durante uma refeição que contenha gorduras. Ambas as formas disponíveis, o ubiquinol e a ubiquinona, apresentam resultados igualmente satisfatórios de atuação no organismo.

Atenção: É necessário ter cuidado com interações medicamentosas. A CoQ10 pode diminuir a efetividade de tratamentos como a quimioterapia e a varfarina e potencializar drogas para controle de pressão sanguínea. Consulte seu médico antes de tomar qualquer suplemento.

A Labdoor recentemente testou os 25 suplementos de CoQ10 mais vendidos nos Estados Unidos. Encontre os rankings com todos os produtos e os relatórios completos sobre cada marca aqui.


Referências
  1. Hargreaves IP, et al. (2005). The effect of HMG-CoA reductase inhibitors on coenzyme Q10: possible biochemical/clinical implications. Drug Saf. 28(8):659-676. [source link]
  2. Mayo Clinic. (2013). Coenzyme Q10. Drugs and Supplements. [source link]
  3. Natural Medicines Database. (2015). Coenzyme Q-10. [source link]
  4. National Institutes of Health. (2015). Coenzyme Q10 (PDQ®) – Patient Version. National Cancer Institute. [source link]
  5. National Institutes of Health. (2014). Coronary Artery Disease. US National Library of Medicine. [source link]
  6. Niklowitz P, et al. (2007). Enrichment of coenzyme Q10 in plasma and blood cells: defense against oxidative damage. Int J Biol Sci. 3(4):257-262. [source link]
  7. Pravst I, et al. (2010). Coenzyme Q10 contents in foods and fortification strategies. Crit Rev Food Sci Nutr. 50(4):269-280. [source link]
  8. Quinzii CM, et al. (2007). Human Coenzyme Q10 Deficiency. Neurochem Res. 32(4-5):723-727. [source link]
  9. Sandor PS, et al. (2005). Efficacy of coenzyme Q10 in migraine prophylaxis: a randomized controlled trial. Neurology. 64(4):713-715. [source link]
  10. University of Maryland Medical Center. (2015). Coenzyme Q10. [source link]
Writing Labdoor
Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

CoQ10: Benefícios para a saúde muito além do antirrugas

A Coenzima Q10, ou CoQ10, é um componente presente em praticamente todas as células do corpo humano. Por ser tão essencial ao organismo e apresentar tantos benefícios à saúde, é surpreendente que se fale tão pouco sobre a substância. Neste artigo falaremos sobre os sintomas de deficiência de CoQ10, os benefícios de tomá-la, os efeitos colaterais e principais fontes naturais.

Muito além do creme antirrugas

Nós possuímos cerca de 2g de Coenzima Q10 em nosso corpo, e a maioria se concentra em nossos corações. A CoQ10 também aparece em grandes concentrações em nossos cérebros, principalmente no córtex, que gerencia a linguagem e processamento de informações.

Dentro de nossas células microscópicas, a CoQ10 participa da produção de outras moléculas que, juntas, facilitam a produção de energia. No sangue, a CoQ10 também pode agir como um poderoso antioxidante enquanto combate radicais livres.

A deficiência de Coenzima Q10

Nós somos capazes de produzir naturalmente grande parte do CoQ10 necessário para a saúde do organismo. Mas nós também precisamos consumir diariamente entre 30 e 100 mg da substância. Estudos sobre a população europeia e asiática mostram que a média de ingestão se limita a apenas 3 e 6 mg/dia, tornando a suplementação necessária.

Além da baixa ingestão de CoQ10, existe uma série de fatores que podem afetar os níveis de CoQ10 no organismo, como:

  • Envelhecimento
  • Doenças genéticas que interrompem a produção natural de CoQ10;
  • Câncer;
  • Diabetes;
  • Doença cardíaca;
  • HIV/AIDS
  • Distrofias musculares;
  • Depressão;
  • Mal de Parkinson
  • Tabagismo
  • Uso de estatinas, uma classe de remédios para diminuição do colesterol

Sintomas da deficiência

Os sintomas da falta de CoQ10 são vagos e podem ser confundidos com sintomas de diversas outras condições de saúde:

  • Fraqueza muscular
  • Fadiga
  • Pressão alta
  • Lentidão de pensamento
  • Dor no peito
  • Falência cardíaca
  • Convulsões

LEIA TAMBÉM: Deficiências nutricionais que podem colocar em risco a qualidade de vida da mulher

Fontes de CoQ10 na alimentação

Tipicamente os alimentos não são boas fontes de CoQ10, pois apresentam concentrações relativamente baixas. No entanto, alguns alimentos possuem uma maior concentração da substância:

  • Órgãos de animais terrestres, como coração e fígado, são os alimentos mais ricos em CoQ10
  • Sardinha
  • Arenque
  • Castanhas e legumes são fontes moderadas

Os benefícios da suplementação

Além de corrigir a deficiência e ajudar na redução dos sintomas, pesquisas demonstram que a suplementação de CoQ10 oferece outros benefícios à saúde:

  • Doenças cardiovasculares: Em pesquisas médicas, o CoQ10 provou trazer inúmeros benefícios em casos de falência cardíaca e recuperação de cirurgias do coração.
  • Doenças neurológicas: A Coenzima Q10 também apresentou benefícios em pesquisas relacionadas a saúde e envelhecimento do sistema nervoso. A explicação mais provável para esta atuação da substância é seu poder antioxidante, que retardaria doenças do sistema nervoso. Um estudo randomizado controlado com 42 pacientes demonstrou que a ingestão de 100mg de CoQ10 três vezes ao dia diminui a frequência de enxaquecas em 30%, e a duração das crises em 45%. Outro estudo mostrou que altas doses de CoQ10 possuem o potencial de atrasar a progressão do mal de parkinson em pacientes que desenvolvem a doença precocemente.

CoQ10 - benefícios para o sistema nervoso

LEIA TAMBÉM: Longevidade saudável e a relação com a glucosamina

Novas frentes de pesquisa

As propriedades terapêuticas da CoQ10 estão apenas começando a serem descobertas. O uso da substância como terapia de suporte para pacientes com Alzheimer está começando a ser estudado, tal como seus benefícios para pacientes com degeneração macular causada por envelhecimento e pacientes se recuperando de cirurgias de cataratas. Existem relatos na literatura médica sobre a possível proteção que a CoQ10 oferece ao coração durante quimioterapia, mas neste caso é imprescindível que se discuta o uso da substância com o médico. Outra importante frente de pesquisa é sobre o câncer. A ação antioxidante do CoQ10 despertou o interesse de alguns pesquisadores que agora conduzem estudos para saber se a suplementação da substância pode proteger nosso DNA de danos oxidativos a ponto de reduzir o risco de câncer.

Segurança dos suplementos

A suplementação da Coenzima Q10 tem demonstrado ser segura até em dosagens altas, como 1200mg/dia. Alguns efeitos colaterais podem aparecer, como erupções cutâneas, náusea, dor abdominal, dor de cabeça e tontura. Por ser um suplemento lipossolúvel, a hora ideal de tomá-lo é durante uma refeição que contenha gorduras. Ambas as formas disponíveis, o ubiquinol e a ubiquinona, apresentam resultados igualmente satisfatórios de atuação no organismo.

Atenção: É necessário ter cuidado com interações medicamentosas. A CoQ10 pode diminuir a efetividade de tratamentos como a quimioterapia e a varfarina e potencializar drogas para controle de pressão sanguínea. Consulte seu médico antes de tomar qualquer suplemento.

A Labdoor recentemente testou os 25 suplementos de CoQ10 mais vendidos nos Estados Unidos. Encontre os rankings com todos os produtos e os relatórios completos sobre cada marca aqui.


Referências
  1. Hargreaves IP, et al. (2005). The effect of HMG-CoA reductase inhibitors on coenzyme Q10: possible biochemical/clinical implications. Drug Saf. 28(8):659-676. [source link]
  2. Mayo Clinic. (2013). Coenzyme Q10. Drugs and Supplements. [source link]
  3. Natural Medicines Database. (2015). Coenzyme Q-10. [source link]
  4. National Institutes of Health. (2015). Coenzyme Q10 (PDQ®) – Patient Version. National Cancer Institute. [source link]
  5. National Institutes of Health. (2014). Coronary Artery Disease. US National Library of Medicine. [source link]
  6. Niklowitz P, et al. (2007). Enrichment of coenzyme Q10 in plasma and blood cells: defense against oxidative damage. Int J Biol Sci. 3(4):257-262. [source link]
  7. Pravst I, et al. (2010). Coenzyme Q10 contents in foods and fortification strategies. Crit Rev Food Sci Nutr. 50(4):269-280. [source link]
  8. Quinzii CM, et al. (2007). Human Coenzyme Q10 Deficiency. Neurochem Res. 32(4-5):723-727. [source link]
  9. Sandor PS, et al. (2005). Efficacy of coenzyme Q10 in migraine prophylaxis: a randomized controlled trial. Neurology. 64(4):713-715. [source link]
  10. University of Maryland Medical Center. (2015). Coenzyme Q10. [source link]

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top