Metais pesados no seu chá orgânico? Entenda porque nem sempre a escolha orgânica é a mais segura.

Muito se fala sobre os benefícios dos orgânicos para a saúde, mas existem algumas exceções para esta regra. Neste artigo mostraremos a você os riscos de intoxicação por metais pesados relacionados ao alto consumo de chás orgânicos.

Intoxicação por metais pesados

Todos nós estamos em constante exposição a pequenas quantidades de metais pesados através de comida, água da torneira, ar e produtos industrializados.

As consequências desta exposição crônica são diversas. Desde sensação de cansaço até problemas de imunidade, neurodegeneração e câncer. O acúmulo de metais pesados no corpo através dos anos também pode fazer com que os sintomas se instalem lentamente e a doença só se manifeste posteriormente, podendo afetar nossos genes através de mudanças epigenéticas que serão transmitidas a gerações futuras.

A comprovada relação entre certos metais e algumas doenças é a razão pela qual a Organização Mundial da Saúde estabeleceu limites diários de exposição. Os valores a seguir se baseiam em uma pessoa de 60kg:

  • Mercúrio: 1.37 ug/dia (ou 0.6 ug/dia para mulheres grávidas)
  • Chumbo: 21 ug/dia
  • Cádmio: 6 ug/dia
  • Arsênico: 12.85 ug/dia
  • Alumínio: Não estabelecido

Neste artigo focaremos em chumbo e alumínio, uma vez que os estudos sobre estes metais no chá são mais numerosos.

Plantas de chá são hiperacumuladoras de metais pesados

Todas as plantas que crescem em ambiente contaminado acabam absorvendo um pouco de seus contaminantes.

A diferença no caso da planta do chá, a Camellia sinensis, é que, por ser cultivada em solo ácido, o alumínio e o chumbo são mais facilmente absorvidos. Além disso, enquanto a maioria das plantas morreria nestas circunstâncias, a C. sinensis se adaptou e se tornou uma hiperacumuladora de metais pesados.

LEIA TAMBÉM: Chá de Moringa: Um aliado da saúde e nutrição

E por que o chá não orgânico pode ser melhor do que o orgânico?

Os metais se acumulam nas folhas das plantas de chá. E é aí que reside a grande diferença entre produtores orgânicos e não orgânicos.

  • Produtores de chás orgânicos tendem a utilizar folhas mais velhas e que tiveram mais tempo para absorver os contaminantes;
  • Produtores não orgânicos tendem a utilizar folhas jovens, o que pode resultar em níveis de contaminação até 20 vezes menores.

Evite deixar as folhas na infusão por mais de 3 minutos

Em praticamente todas as situações avaliadas por pesquisadores, deixar as folhas na água do chá por mais de 3 minutos aumentou os níveis de chumbo e alumínio na bebida. Pesquisadores estimam que a quantidade de metal pode aumentar de 10% a 50%.

SAIBA MAIS: Como tomar chá verde e obter os melhores resultados?

Referências

Agency for Toxic Substances & Disease Registry. (2007). Lead Toxicity – What are the Physiologic Effects of Lead Exposure?. Environmental Health and Medicine Education.
Andersson M. (1988). Toxicity and tolerance of aluminum in vascular plants. Water Air Soil Pollut. 39:439-462.
Carr HP, et al. (2003). Accumulation and distribution of aluminium and other elements in tea (Camellia sinensis) leaves. Agronomie. 23:705-710.
Chen Y, et al. (2010). Lead contamination in different varieties of tea plant (Camellia sinensis L.) and factors affecting lead bioavailability. J Sci Food Agric. 90(9):1501-1507. DOI: 10.1002/jsfa.3974.
Flaten TP. (2002). Aluminium in tea – concentrations, speciation and bioavailability. Coordin. Chem. Rev. 228:385-395.
Jin CW, et al. (2005). Lead contamination in tea garden soils and factors affecting its bioavailability. Chemosphere. 59(8):1151-1159.
Leitenmaier B & Kupper H. (2013). Compartmentation and complexation of metals in hyperaccumulator plants. Front Plant Sci. 4:374. DOI: 10.3389/fpls.2013.00374.
Oregon Public Health Division. (2011). Heavy metals and your health: Frequently asked questions about testing, treatment and prevention. Office of Environmental Public Health.
Schwalfenberg G, et al. (2013). The Benefits and Risks of Consuming Brewed Tea: Beware of Toxic Element Contamination. Journal of Toxicology. DOI: 10.1155/2013/370460.
Tangahu BV, et al. (2011). A Review on Heavy Metals (As, Pb, and Hg) Uptake by Plants through Phytoremediation. International Journal of Chemical Engineering. DOI: 10.1155/2011/939161.

 

Writing Labdoor

Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Metais pesados no seu chá orgânico? Entenda porque nem sempre a escolha orgânica é a mais segura.

Muito se fala sobre os benefícios dos orgânicos para a saúde, mas existem algumas exceções para esta regra. Neste artigo mostraremos a você os riscos de intoxicação por metais pesados relacionados ao alto consumo de chás orgânicos.

Intoxicação por metais pesados

Todos nós estamos em constante exposição a pequenas quantidades de metais pesados através de comida, água da torneira, ar e produtos industrializados.

As consequências desta exposição crônica são diversas. Desde sensação de cansaço até problemas de imunidade, neurodegeneração e câncer. O acúmulo de metais pesados no corpo através dos anos também pode fazer com que os sintomas se instalem lentamente e a doença só se manifeste posteriormente, podendo afetar nossos genes através de mudanças epigenéticas que serão transmitidas a gerações futuras.

A comprovada relação entre certos metais e algumas doenças é a razão pela qual a Organização Mundial da Saúde estabeleceu limites diários de exposição. Os valores a seguir se baseiam em uma pessoa de 60kg:

  • Mercúrio: 1.37 ug/dia (ou 0.6 ug/dia para mulheres grávidas)
  • Chumbo: 21 ug/dia
  • Cádmio: 6 ug/dia
  • Arsênico: 12.85 ug/dia
  • Alumínio: Não estabelecido

Neste artigo focaremos em chumbo e alumínio, uma vez que os estudos sobre estes metais no chá são mais numerosos.

Plantas de chá são hiperacumuladoras de metais pesados

Todas as plantas que crescem em ambiente contaminado acabam absorvendo um pouco de seus contaminantes.

A diferença no caso da planta do chá, a Camellia sinensis, é que, por ser cultivada em solo ácido, o alumínio e o chumbo são mais facilmente absorvidos. Além disso, enquanto a maioria das plantas morreria nestas circunstâncias, a C. sinensis se adaptou e se tornou uma hiperacumuladora de metais pesados.

LEIA TAMBÉM: Chá de Moringa: Um aliado da saúde e nutrição

E por que o chá não orgânico pode ser melhor do que o orgânico?

Os metais se acumulam nas folhas das plantas de chá. E é aí que reside a grande diferença entre produtores orgânicos e não orgânicos.

  • Produtores de chás orgânicos tendem a utilizar folhas mais velhas e que tiveram mais tempo para absorver os contaminantes;
  • Produtores não orgânicos tendem a utilizar folhas jovens, o que pode resultar em níveis de contaminação até 20 vezes menores.

Evite deixar as folhas na infusão por mais de 3 minutos

Em praticamente todas as situações avaliadas por pesquisadores, deixar as folhas na água do chá por mais de 3 minutos aumentou os níveis de chumbo e alumínio na bebida. Pesquisadores estimam que a quantidade de metal pode aumentar de 10% a 50%.

SAIBA MAIS: Como tomar chá verde e obter os melhores resultados?

Referências

Agency for Toxic Substances & Disease Registry. (2007). Lead Toxicity – What are the Physiologic Effects of Lead Exposure?. Environmental Health and Medicine Education.
Andersson M. (1988). Toxicity and tolerance of aluminum in vascular plants. Water Air Soil Pollut. 39:439-462.
Carr HP, et al. (2003). Accumulation and distribution of aluminium and other elements in tea (Camellia sinensis) leaves. Agronomie. 23:705-710.
Chen Y, et al. (2010). Lead contamination in different varieties of tea plant (Camellia sinensis L.) and factors affecting lead bioavailability. J Sci Food Agric. 90(9):1501-1507. DOI: 10.1002/jsfa.3974.
Flaten TP. (2002). Aluminium in tea – concentrations, speciation and bioavailability. Coordin. Chem. Rev. 228:385-395.
Jin CW, et al. (2005). Lead contamination in tea garden soils and factors affecting its bioavailability. Chemosphere. 59(8):1151-1159.
Leitenmaier B & Kupper H. (2013). Compartmentation and complexation of metals in hyperaccumulator plants. Front Plant Sci. 4:374. DOI: 10.3389/fpls.2013.00374.
Oregon Public Health Division. (2011). Heavy metals and your health: Frequently asked questions about testing, treatment and prevention. Office of Environmental Public Health.
Schwalfenberg G, et al. (2013). The Benefits and Risks of Consuming Brewed Tea: Beware of Toxic Element Contamination. Journal of Toxicology. DOI: 10.1155/2013/370460.
Tangahu BV, et al. (2011). A Review on Heavy Metals (As, Pb, and Hg) Uptake by Plants through Phytoremediation. International Journal of Chemical Engineering. DOI: 10.1155/2011/939161.

 

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top