Kombucha emagrece? Conheça os benefícios e riscos da bebida

É verdade que o Kombucha emagrece? Saiba mais sobre a bebida milenar e entenda os riscos e benefícios de sua ingestão.

Em primeiro lugar: O que é kombucha?

O kombucha, também conhecido como chá de cogumelo, foi criado na China há mais de 2 milênios. Ele é resultado da fermentação do chá preto ou verde, realizada por uma colônia de bactérias e leveduras chamada SCOBY (imagem acima).

A fermentação geralmente leva de 7 a 10 dias, mas o tempo pode variar de acordo com o clima e o gosto de quem prepara o kombucha. Isso porque fermentações curtas resultam em uma bebida mais doce e fermentações longas resultam em uma bebida mais ácida.

Após a primeira fermentação, muitas pessoas realizam uma segunda fermentação com o objetivo de saborizar o kombucha com sucos de frutas e especiarias.

Por que está todo mundo tomando?

O kombucha é uma bebida probiótica, ou seja, rica em bactérias benéficas que ajudam todo o organismo a funcionar melhor. A procura por alimentos com esta propriedade funcional vem crescendo com as recentes descobertas da ciência em relação à importância do equilíbrio da flora bacteriana intestinal.

SAIBA MAIS: Probióticos – Conheça o incrível potencial de cura das bactérias do bem

O kombucha também é rico em ácidos orgânicos, aminoácidos, substâncias antibióticas e vitaminas (B1, B2, B6, B12 e C), o que nos leva a crer que ele beneficia a saúde de diversas maneiras. Mas é importante frisar que ainda existem poucos estudos científicos sobre os benefícios do kombucha no corpo humano.

Kombucha emagrece

Alguns benefícios atribuídos ao kombucha que ainda carecem de mais evidências científicas:

  • Desintoxicação: O chá potencializaria a auto-desintoxicação que nosso corpo realiza naturalmente todos os dias;
  • Atividade antioxidante e antimicrobiana;
  • Redução do nível de colesterol;
  • Melhora de problemas articulares, por conter glucosaminas;
  • Melhora na saúde intestinal e em todo sistema digestivo;
  • Melhora no sistema imunológico;
  • Melhora na saúde renal;
  • Melhora na função hepática;
  • Melhora na asma;
  • Auxílio na prevenção do câncer;

O Kombucha emagrece?

Em teoria, o kombucha pode sim ter um efeito positivo no processo de emagrecimento em alguns quadros devido à melhora da microbiota intestinal. Alguns estudos demonstram que existem diferenças na microbiota intestinal de indivíduos obesos e magros, e que a suplementação ou o maior consumo de alimentos probióticos podem possuir um efeito anti-obesidade. Além disso, o ácido acético presente no chá pode bloquear enzimas responsáveis pela absorção de açúcares.

Em estudos realizados em animais, foi observada a ação do kombucha na perda de peso e no tratamento de diabetes tipo 2. No entanto, mais estudos com humanos são necessários para esclarecer os resultados, por vezes conflitantes, encontrados na literatura.

LEIA TAMBÉM: Dieta do jejum intermitente: Fechar a boca emagrece

Compreendendo os riscos

Para ser seguro, ele deve ser produzido criteriosamente, com correta sanitização de utensílios, tempo adequado de fermentação, local apropriado para armazenagem e plena atenção a problemas na fermentação, como mofo. Caso contrário a bebida pode desenvolver propriedades bastante perigosas, podendo levar a óbito. Portanto, a pergunta a ser feita não é se o kombucha emagrece, mas sim se vale a pena a sua ingestão.

É importante lembrar que existem maneiras mais seguras de se ingerir probióticos, que trazem benefícios semelhantes aos atribuídos ao kombucha.

LEIA TAMBÉM: Os possíveis benefícios dos probióticos para o cérebro e o humor

O consumo do kombucha deve ser indicado e monitorado por um médico ou nutricionista. Crianças, gestantes, lactantes, idosos e portadores de doenças imunossupressoras, devem evitar a bebida.

Referências:

JAYABALAN, R., etl al. Biochemical characteristics of tea fungus produced during kombucha fermentation. Food Science Biotechnology; 19: 843-47, 2010. 

JAYABALAN, R., et al. A review on kombucha tea – microbiology, composition, fermentation, beneficial effects, toxicity, and tea fungus. Food Science and Food Safety; 13: 538-50, 2014.

MARTINS-SILVA, I. R., et al. Microbiota intestinal na obesidade e homeostase energética. Almanaque multidisciplinar de pesquisa; 1 (2): 28-50, 2016.

MODANÊSI, P. V. G.; MERCER, N. S.; BERNARDI, J. F. B. Efeitos do uso de probióticos na hipercolesterolemia. Ver Pesq Saúde; 17 (1): 47-50, 2016. 

REVA, O. N., et al. Metabarcoding of the kombucha microbial community grown in different microenvironments. AMB Expr; 5 (35), 2015. 

SANTOS, M. J. Kombucha: caracterização da microbiota e desenvolvimento de novos produtos alimentares para uso em restauração. 2016. F. Dissertação – Universidade de Lisboa. Lisboa, 2016.
Writing Labdoor
Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Kombucha emagrece? Conheça os benefícios e riscos da bebida

É verdade que o Kombucha emagrece? Saiba mais sobre a bebida milenar e entenda os riscos e benefícios de sua ingestão.

Em primeiro lugar: O que é kombucha?

O kombucha, também conhecido como chá de cogumelo, foi criado na China há mais de 2 milênios. Ele é resultado da fermentação do chá preto ou verde, realizada por uma colônia de bactérias e leveduras chamada SCOBY (imagem acima).

A fermentação geralmente leva de 7 a 10 dias, mas o tempo pode variar de acordo com o clima e o gosto de quem prepara o kombucha. Isso porque fermentações curtas resultam em uma bebida mais doce e fermentações longas resultam em uma bebida mais ácida.

Após a primeira fermentação, muitas pessoas realizam uma segunda fermentação com o objetivo de saborizar o kombucha com sucos de frutas e especiarias.

Por que está todo mundo tomando?

O kombucha é uma bebida probiótica, ou seja, rica em bactérias benéficas que ajudam todo o organismo a funcionar melhor. A procura por alimentos com esta propriedade funcional vem crescendo com as recentes descobertas da ciência em relação à importância do equilíbrio da flora bacteriana intestinal.

SAIBA MAIS: Probióticos – Conheça o incrível potencial de cura das bactérias do bem

O kombucha também é rico em ácidos orgânicos, aminoácidos, substâncias antibióticas e vitaminas (B1, B2, B6, B12 e C), o que nos leva a crer que ele beneficia a saúde de diversas maneiras. Mas é importante frisar que ainda existem poucos estudos científicos sobre os benefícios do kombucha no corpo humano.

Kombucha emagrece

Alguns benefícios atribuídos ao kombucha que ainda carecem de mais evidências científicas:

  • Desintoxicação: O chá potencializaria a auto-desintoxicação que nosso corpo realiza naturalmente todos os dias;
  • Atividade antioxidante e antimicrobiana;
  • Redução do nível de colesterol;
  • Melhora de problemas articulares, por conter glucosaminas;
  • Melhora na saúde intestinal e em todo sistema digestivo;
  • Melhora no sistema imunológico;
  • Melhora na saúde renal;
  • Melhora na função hepática;
  • Melhora na asma;
  • Auxílio na prevenção do câncer;

O Kombucha emagrece?

Em teoria, o kombucha pode sim ter um efeito positivo no processo de emagrecimento em alguns quadros devido à melhora da microbiota intestinal. Alguns estudos demonstram que existem diferenças na microbiota intestinal de indivíduos obesos e magros, e que a suplementação ou o maior consumo de alimentos probióticos podem possuir um efeito anti-obesidade. Além disso, o ácido acético presente no chá pode bloquear enzimas responsáveis pela absorção de açúcares.

Em estudos realizados em animais, foi observada a ação do kombucha na perda de peso e no tratamento de diabetes tipo 2. No entanto, mais estudos com humanos são necessários para esclarecer os resultados, por vezes conflitantes, encontrados na literatura.

LEIA TAMBÉM: Dieta do jejum intermitente: Fechar a boca emagrece

Compreendendo os riscos

Para ser seguro, ele deve ser produzido criteriosamente, com correta sanitização de utensílios, tempo adequado de fermentação, local apropriado para armazenagem e plena atenção a problemas na fermentação, como mofo. Caso contrário a bebida pode desenvolver propriedades bastante perigosas, podendo levar a óbito. Portanto, a pergunta a ser feita não é se o kombucha emagrece, mas sim se vale a pena a sua ingestão.

É importante lembrar que existem maneiras mais seguras de se ingerir probióticos, que trazem benefícios semelhantes aos atribuídos ao kombucha.

LEIA TAMBÉM: Os possíveis benefícios dos probióticos para o cérebro e o humor

O consumo do kombucha deve ser indicado e monitorado por um médico ou nutricionista. Crianças, gestantes, lactantes, idosos e portadores de doenças imunossupressoras, devem evitar a bebida.

Referências:

JAYABALAN, R., etl al. Biochemical characteristics of tea fungus produced during kombucha fermentation. Food Science Biotechnology; 19: 843-47, 2010. 

JAYABALAN, R., et al. A review on kombucha tea – microbiology, composition, fermentation, beneficial effects, toxicity, and tea fungus. Food Science and Food Safety; 13: 538-50, 2014.

MARTINS-SILVA, I. R., et al. Microbiota intestinal na obesidade e homeostase energética. Almanaque multidisciplinar de pesquisa; 1 (2): 28-50, 2016.

MODANÊSI, P. V. G.; MERCER, N. S.; BERNARDI, J. F. B. Efeitos do uso de probióticos na hipercolesterolemia. Ver Pesq Saúde; 17 (1): 47-50, 2016. 

REVA, O. N., et al. Metabarcoding of the kombucha microbial community grown in different microenvironments. AMB Expr; 5 (35), 2015. 

SANTOS, M. J. Kombucha: caracterização da microbiota e desenvolvimento de novos produtos alimentares para uso em restauração. 2016. F. Dissertação – Universidade de Lisboa. Lisboa, 2016.

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top