Alimentos ricos em glutamina

Neste artigo, apresentamos os alimentos ricos em glutamina e a importância em consumir esse aminoácido para as funções realizadas no organismo.  Veja também a quantidade presente em alguns alimentos e em que casos são recomendados uma maior ingestão da glutamina.

Onde a glutamina se armazena em nosso organismo?  

A glutamina consiste no aminoácido livre mais abundante no plasma e no tecido muscular de indivíduos saudáveis. Ela é também encontrada em quantidades relativamente elevadas em outras estruturas corporais, representando em média 20% do total de aminoácidos presentes no plasma.

Quando o uso da glutamina é necessário?

A glutamina é considerada um aminoácido condicionalmente essencial, ou seja, em condições hipermetabólicas que predispõe ao catabolismo, a síntese de glutamina não supre a demanda metabólica.

Esse quadro pode ocorrer devido a alguma doença, quadro inflamatório, traumas, cirurgias e exercícios físicos. Nesse caso, é recomendada uma ingestão maior do que o habitual, que pode ser através de fontes de alimentos ricos em glutamina ou então suplementação.

O consumo da melhor glutamina é importante nessas situações, pois ela age como fonte de energia no sistema imune, participando do crescimento muscular por meio do estímulo à síntese de proteínas.

Consumir alimentos ricos em glutamina é fundamental, pois regula o balanço nitrogenado, prevenindo o catabolismo.

Quais são os alimentos ricos em glutamina?

Muito se ouve dizer que a glutamina engorda. Porém, a verdade é que as chances de engordar são mínimas, quando é consumida através de seus alimentos fonte. Isso porque ela geralmente representa uma pequena porcentagem do alimento.

Os alimentos ricos em glutamina podem estar presentes na composição de proteínas vegetais e animais. Se considerarmos a porcentagem da proteína pela sua quantidade de aminoácidos, podemos observar que a glutamina representa:

  • 35,1% da gliadina presente no trigo;
  • 24,2% da proteína do feijão;
  • 9,6% da glicina presente na soja;
  • 8,9% da β-caseína presente no leite de vaca;
  • 3,8% da albumina presente no ovo de galinha.

Outros alimentos que contêm glutamina

Além dos alimentos ricos em glutamina citados, estudos mostram uma quantidade significativa de glutamina nos seguintes alimentos:

  • Carne bovina

A carne bovina é uma excelente fonte de glutamina. Alimentos com altos níveis desse aminoácido são, eventualmente, alimentos ricos em proteínas. Sabe-se ainda que as carnes magras representam melhores fontes de glutamina do que as carnes mais gordas.

  • Leite

Alguns produtos lácteos contêm níveis consideráveis de glutamina. O leite é uma excelente fonte e, dentre os produtos lácteos, a proteína do soro do leite é a maior fonte de glutamina.

  • Ovo

O ovo também entra na lista e é uma boa opção para vegetarianos. Além disso, é rico em proteínas de alta qualidade.

  • Arroz branco

O arroz branco é considerado uma fonte de glutamina que, quando consumido usualmente, apresenta maior digestibilidade dentre os cereais. Também possui maior valor biológico e a maior taxa de eficiência proteica.

  • Proteína do milho

O milho é uma fonte de carboidrato, porém contém uma quantidade de proteína em sua composição (cerca de 9g á cada 100g de milho). É exatamente essa proteína que contém a glutamina.

  • Tofu (queijo de soja)

Não muito consumido pela população brasileira, mas muito comum no Japão, o tofu é uma fonte de glutamina. Trata-se de uma espécie de queijo coalho, feito com leite de soja dessorado.

Quantidade de glutamina nos alimentos

Confira na tabela abaixo os alimentos ricos em glutamina, de acordo com a quantidade contida a cada 100 g:

Alimento Quantidade de glutamina
Carne (g) 1.231
Leite desnatado (g) 0.275
Arroz branco (g) 0.301
Milho (g) 0.406
Tofu (queijo de soja) (g) 0.603
Ovo (g) 0.559

Fonte: adaptada de Lenders et al. (2009).

Agora que você conhece a importância de consumir alimentos ricos em glutamina, compartilhe este artigo para que outras pessoas saibam também!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ROGERO, M. M. Glutamina. In: PASCHOAL, V.; NAVES, A. Tratado de Nutrição Esportiva Funcional. 1. ed. São Paulo: Rocca, 2014.

XAVIER, Heloisa et al. Relação do consumo de glutamina na melhora do trato gastrointestinal-revisão sistemática. O papel da glutamina no trato gastrointestinal. RBONE-Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 3, n. 18, p. 6, 2009. (Artigo)

ABRAHÃO, Samara Arantes Bergameli; MACHADO, Eula Cristina. Suplementação de Glutamina no Tratamento de Pacientes com Câncer: uma revisão bibliográfica. Estudos, v. 41, n. 2, p. 215-222, 2014. (Artigo)

CRUZAT, V.F. Efeitos da suplementação com L- glutamina livre e na forma de dipeptídeo sobre o eixo glutamina-glutationa, sistema imune, sistema respiratório e vias de sinalização proteica de camundongos submetidos à endotoxemia. 2013. 169f. Tese para obtenção do grau de Doutor – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

LENDERS, C. M. et al. Evaluation of a novel food composition database that includes glutamine and other amino acids derived from gene sequencing data. European journal of clinical nutrition, v. 63, n. 12, p. 1433-1439, 2009. (Artigo)
Time formado por redatores com pós graduação e/ou doutorado nas áreas de saúde, dieta, suplementação e/ou treino, além de convidados especialistas em suas áreas.

Alimentos ricos em glutamina

Neste artigo, apresentamos os alimentos ricos em glutamina e a importância em consumir esse aminoácido para as funções realizadas no organismo.  Veja também a quantidade presente em alguns alimentos e em que casos são recomendados uma maior ingestão da glutamina.

Onde a glutamina se armazena em nosso organismo?  

A glutamina consiste no aminoácido livre mais abundante no plasma e no tecido muscular de indivíduos saudáveis. Ela é também encontrada em quantidades relativamente elevadas em outras estruturas corporais, representando em média 20% do total de aminoácidos presentes no plasma.

Quando o uso da glutamina é necessário?

A glutamina é considerada um aminoácido condicionalmente essencial, ou seja, em condições hipermetabólicas que predispõe ao catabolismo, a síntese de glutamina não supre a demanda metabólica.

Esse quadro pode ocorrer devido a alguma doença, quadro inflamatório, traumas, cirurgias e exercícios físicos. Nesse caso, é recomendada uma ingestão maior do que o habitual, que pode ser através de fontes de alimentos ricos em glutamina ou então suplementação.

O consumo da melhor glutamina é importante nessas situações, pois ela age como fonte de energia no sistema imune, participando do crescimento muscular por meio do estímulo à síntese de proteínas.

Consumir alimentos ricos em glutamina é fundamental, pois regula o balanço nitrogenado, prevenindo o catabolismo.

Quais são os alimentos ricos em glutamina?

Muito se ouve dizer que a glutamina engorda. Porém, a verdade é que as chances de engordar são mínimas, quando é consumida através de seus alimentos fonte. Isso porque ela geralmente representa uma pequena porcentagem do alimento.

Os alimentos ricos em glutamina podem estar presentes na composição de proteínas vegetais e animais. Se considerarmos a porcentagem da proteína pela sua quantidade de aminoácidos, podemos observar que a glutamina representa:

  • 35,1% da gliadina presente no trigo;
  • 24,2% da proteína do feijão;
  • 9,6% da glicina presente na soja;
  • 8,9% da β-caseína presente no leite de vaca;
  • 3,8% da albumina presente no ovo de galinha.

Outros alimentos que contêm glutamina

Além dos alimentos ricos em glutamina citados, estudos mostram uma quantidade significativa de glutamina nos seguintes alimentos:

  • Carne bovina

A carne bovina é uma excelente fonte de glutamina. Alimentos com altos níveis desse aminoácido são, eventualmente, alimentos ricos em proteínas. Sabe-se ainda que as carnes magras representam melhores fontes de glutamina do que as carnes mais gordas.

  • Leite

Alguns produtos lácteos contêm níveis consideráveis de glutamina. O leite é uma excelente fonte e, dentre os produtos lácteos, a proteína do soro do leite é a maior fonte de glutamina.

  • Ovo

O ovo também entra na lista e é uma boa opção para vegetarianos. Além disso, é rico em proteínas de alta qualidade.

  • Arroz branco

O arroz branco é considerado uma fonte de glutamina que, quando consumido usualmente, apresenta maior digestibilidade dentre os cereais. Também possui maior valor biológico e a maior taxa de eficiência proteica.

  • Proteína do milho

O milho é uma fonte de carboidrato, porém contém uma quantidade de proteína em sua composição (cerca de 9g á cada 100g de milho). É exatamente essa proteína que contém a glutamina.

  • Tofu (queijo de soja)

Não muito consumido pela população brasileira, mas muito comum no Japão, o tofu é uma fonte de glutamina. Trata-se de uma espécie de queijo coalho, feito com leite de soja dessorado.

Quantidade de glutamina nos alimentos

Confira na tabela abaixo os alimentos ricos em glutamina, de acordo com a quantidade contida a cada 100 g:

Alimento Quantidade de glutamina
Carne (g) 1.231
Leite desnatado (g) 0.275
Arroz branco (g) 0.301
Milho (g) 0.406
Tofu (queijo de soja) (g) 0.603
Ovo (g) 0.559

Fonte: adaptada de Lenders et al. (2009).

Agora que você conhece a importância de consumir alimentos ricos em glutamina, compartilhe este artigo para que outras pessoas saibam também!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ROGERO, M. M. Glutamina. In: PASCHOAL, V.; NAVES, A. Tratado de Nutrição Esportiva Funcional. 1. ed. São Paulo: Rocca, 2014.

XAVIER, Heloisa et al. Relação do consumo de glutamina na melhora do trato gastrointestinal-revisão sistemática. O papel da glutamina no trato gastrointestinal. RBONE-Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 3, n. 18, p. 6, 2009. (Artigo)

ABRAHÃO, Samara Arantes Bergameli; MACHADO, Eula Cristina. Suplementação de Glutamina no Tratamento de Pacientes com Câncer: uma revisão bibliográfica. Estudos, v. 41, n. 2, p. 215-222, 2014. (Artigo)

CRUZAT, V.F. Efeitos da suplementação com L- glutamina livre e na forma de dipeptídeo sobre o eixo glutamina-glutationa, sistema imune, sistema respiratório e vias de sinalização proteica de camundongos submetidos à endotoxemia. 2013. 169f. Tese para obtenção do grau de Doutor – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

LENDERS, C. M. et al. Evaluation of a novel food composition database that includes glutamine and other amino acids derived from gene sequencing data. European journal of clinical nutrition, v. 63, n. 12, p. 1433-1439, 2009. (Artigo)

Assine a Revista Labdoor

Scroll to top